Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Poder Judiciário da UniãoTribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios

Navegação

Ferramentas Pessoais
Principal Institucional Imprensa Notícias 2017 Dezembro Homem que esfaqueou outro para que ele não procurasse mais sua irmã vai a júri

Homem que esfaqueou outro para que ele não procurasse mais sua irmã vai a júri

por AF — publicado em 06/12/2017 17:15

O Tribunal do Júri de Brasília vai julgar nesta quinta-feira, 7/12, Gleyton Alves de Barros por tentar matar Carlos Henrique dos Santos. O réu responde por tentativa de homicídio simples (art. 121, caput, c/c art. 14, II, ambos do Código Penal). A sessão de julgamento está marcada para começar às 9 horas.  

Segundo consta dos autos, Carlos Henrique havia namorado a irmã de Gleyton durante dois anos e ela decidiu terminar o relacionamento. Contudo, ele continuou a procurá-la. Meses antes da tentativa de homicídio, o irmão dela foi ao trabalho de Carlos para ameaçá-lo e dizer que não a procurasse mais. No dia do crime, o ex-casal protagonizou uma discussão, na qual interveio a mãe de Gleyton, gerando incidente que se encontra sob o crivo do Juizado Especial de Violência Doméstica (processo nº 2014.01.1.074972-5). Gleyton, então, teria se armado de uma faca e desferido violento golpe contra a vítima, que conseguiu fugir, sendo ainda perseguida pelo acusado.

Ao pronunciar o réu, o juiz afirmou na sentença: “Com efeito, o acusado, interrogado ainda na fase do inquérito policial, apresentou sua versão dos fatos, quando assumiu ter desferido golpe de faca contra a vítima e alegou, em sua defesa, que praticou os fatos após a vítima ter agredido sua irmã e sua genitora. Ouvida em Juízo, a vítima relatou a dinâmica dos acontecimentos, imputando ao acusado a autoria dos fatos relatados na denúncia. A partir dessas considerações, entendo presentes os indícios suficientes de autoria necessários à submissão do acusado a julgamento perante o Tribunal do Júri, cabendo ao Conselho de Sentença proceder à análise exauriente dos fatos postos nesta ação penal e, ao fim e ao cabo, decidir sobre a responsabilidade jurídico-penal do réu”.

Processo: 2014.01.1.057826-0

ícone twitter  ícone facebook