Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Poder Judiciário da UniãoTribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios

Navegação

Ferramentas Pessoais
Principal Institucional Imprensa Notícias 2018 Março Publicada 2ª edição do banco de dados da rede de proteção às mulheres do DF

Publicada 2ª edição do banco de dados da rede de proteção às mulheres do DF

registrado em:
por MLC — publicado em 12/03/2018 18:55

Capa da publicaçãoO TJDFT, por meio do Núcleo Judiciário da Mulher – NJM, publicou a segunda edição do banco de dados com instituições da rede de proteção às mulheres em situação de violência doméstica e familiar. A intenção é garantir mais agilidade aos encaminhamentos realizados e otimizar o tempo de atendimento, além de disponibilizar informações relevantes a essas mulheres e seu grupo familiar. Ao todo, o documento conta com mais de 400 instituições do terceiro setor, públicas e privadas do Distrito Federal. Na primeira edição eram 200 instituições.

A publicação é organizada por ordem alfabética, de acordo com o nome das regiões administrativas. Entre as áreas de atuação contempladas no banco estão direito, justiça, assistência social, saúde, segurança pública, violência, trabalho e previdência social. Em justiça, por exemplo, há informações dos Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher e do Serviço de Assessoramento aos Juízos Criminais – SERAV/TJDFT. O interessado pode encontrar endereços, telefones gerais, atendimentos e horários de todas as instituições.

O NJM foi criado em setembro de 2012 e trabalha em três eixos: policial, judicial e comunitário. Entre suas atribuições, busca desenvolver ações e parcerias voltadas ao combate e à prevenção da violência doméstica e familiar contra a mulher. Atualmente, é coordenado pelos juízes Ben-Hur Viza e Carlos Bismarck, do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do Núcleo Bandeirante, e do 1o. Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher da Circunscrição Judiciária de Ceilândia, e pelas juízas Luciana Rocha Lopes e Fabriziane Figueiredo Zapata, do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher da Circunscrição Taguatinga e da Circunscrição do Riacho Fundo, respectivamente.

Clique aqui para baixar a versão digital da publicação.   

ícone twitter  ícone facebook  Enviar notícia por WhatsApp