Estrutura

Estrutura

Secretaria Administrativa

Assessora a coordenação e a equipe profissional nos assuntos pertinentes à demanda, realiza pesquisas,  além de executar atos administrativos necessários ao funcionamento e a manutenção da Central Judicial do Idoso (CJI). Busca também estabelecer parcerias com instituições e setores relacionados à rede de proteção ao idoso e acordos capazes de ampliar e aprimorar os serviços da CJI.

Telefone: (61) 3103-7609 e 3103-7616.

Núcleo de Acolhimento

O usuário que procura a Central Judicial do Idoso é recepcionado pelo Núcleo de Acolhimento onde é atendido por um profissional que dependendo do tipo de demanda pode ser da área jurídica ou psicossocial. O profissional efetua uma escuta individualizada com a finalidade de avaliar a demanda e, se necessário, providenciar o encaminhamento formal à rede, aos demais núcleos da Central ou orientar a propositura de alguma ação judicial.

Telefone: (61) 3103-7621 (Dúvidas e Orientações)

Núcleo de Mediação do Idoso

A mediação é uma conversa entre pessoas que precisam resolver uma disputa de interesses - chamamos essas pessoas de "partes". Nessa conversa, há uma pessoa que está de fora da disputa e que chamamos de "mediador". Essa pessoa garantirá que as partes entendam melhor o problema que estão discutindo, para que consigam chegar a uma solução que atenda o bem-estar do idoso. As pessoas não são obrigadas a participar de uma mediação, mas são convidadas, porque é uma forma mais fácil de resolver certos problemas. O mediador usa técnicas para facilitar o diálogo entre as partes para que elas compreendam melhor as questões em que estão envolvidas. Dessa forma, as próprias pessoas podem encontrar soluções que sejam boas para todos e que, principalmente, garantam o bem-estar da pessoa idosa e da própria família.

Telefone: (61) 3103-7617

Núcleo Psicossocial de Atendimento ao Idoso

É composto por assistentes sociais e psicólogos. É o núcleo que atuam na realização de estudos psicossociais de idosos em situação de risco conforme a definição de situação de risco fornecida pelo Estatuto do Idoso (Artigo 43), com o objetivo de subsidiar a tomada de decisão de juízes do TJDFT, bem como dos promotores de justiça do MPDFT por meio  da Promotoria de Justiça da Pessoa Idosa e os defensores públicos por intermédio do Ofício da Proteção da Pessoa Idosa.

Telefone: (61) 3103-7617

Objetivos

  • Garantir a efetiva aplicação e o cumprimento do Estatuto do Idoso;
  • Prestar serviço especializado aos cidadãos idosos do DF que tiverem seus direitos violados;
  • Articular com a rede social do DF o atendimento aos idosos que estejam em situação de risco;
  • Realizar atendimento multidisciplinar ao idoso nos casos determinados pelas autoridades judiciárias;
  • Articular parcerias com instituições governamentais e não-governamentais para oferecer atendimento ao idoso;
  • Prestar informações sobre a legislação pertinente ao idoso;
  • Promover ações tais como pesquisas sociais, estatísticas, seminários, campanhas educativas que objetivem divulgar os direitos do idoso, erradicar a violência e os maus tratos a que estão submetidos.

Público-alvo

O trabalho da Central Judicial do Idoso destina-se aos idosos, pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, residentes do Distrito Federal, que tenham seus direitos ameaçados ou violados e necessitem de orientação e atendimento na esfera da Justiça.

Os familiares, a comunidade, os vizinhos, os cuidadores de idosos e as instituições também podem procurar a Central Judicial do Idoso para tratar de assuntos relacionados a suspeita ou violação de direitos da pessoa idosa.

Parceiros