VIJ-DF e Secretaria da Criança arrecadam mais de 15 mil livros para jovens em medida socioeducativa

por LC/SECOM/VIJ — publicado 2015-05-21T19:10:00-03:00

O resultado positivo foi possível graças ao engajamento do voluntariado corporativo e dos parceiros que se mobilizaram para ajudar os adolescentes em conflito com a lei a transformarem a vida por meio da leitura

A campanha de arrecadação de livros paradidáticos para os jovens do sistema socioeducativo do DF foi um sucesso. Durante o período de 15/4 a 15/5, a Vara da Infância e da Juventude do DF (VIJ/DF), por meio da Rede Solidária Anjos do Amanhã, e a Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude do DF arrecadaram 15.139 livros para o Projeto Leitura – a Arte do Saber. Com esse resultado expressivo, que é fruto do engajamento dos parceiros e do voluntariado corporativo das duas instituições, o Projeto de leitura será expandido para outras cinco unidades de internação do DF, beneficiando 900 jovens. Clique aqui e confira o quantitativo das doações por fórum.

Diante do significativo resultado, a VIJ/DF encerra sua participação oficial na campanha, que se estende até o final do mês por parte da Secretaria da Criança. Assim, quem ainda quiser doar livros paradidáticos poderá fazê-lo até o fim de maio nas secretarias de estado, nos postos do Na Hora, na Câmara Legislativa e na Biblioteca Nacional.

Segundo a supervisora da Rede Solidária Anjos do Amanhã, Flávia Fonteles, a campanha foi produtiva graças à participação do voluntariado interno, que se sensibilizou e convocou doadores. “O engajamento do voluntariado corporativo do TJDFT foi fundamental. Em nome da Rede, quero agradecer a todas as diretorias dos fóruns pela disponibilidade e entusiasmo na arrecadação dos livros literários, bem como aos magistrados, servidores, terceirizados e estagiários que exercitaram o voluntariado e participaram pessoalmente da campanha, sem esquecer dos membros da sociedade civil que também se mobilizaram”, ressaltou. A supervisora desejou ainda que “cada livro lido por um adolescente socioeducando seja fator determinante para a escolha da legalidade”.

Durante a campanha, voluntários e parceiros utilizaram de muita criatividade para atrair doadores. A Diretoria do Fórum do Paranoá, por exemplo, enfeitou a caixa de coleta e fez a filtragem dos livros em didáticos (que não são o foco desta campanha), paradidáticos e infantis. No Fórum de Planaltina, servidores da Diretoria fizeram doações expressivas e, na Vara de Execução de Medidas Socioeducativas (VEMSE), uma servidora mobilizou os colegas e a sua própria mãe a doar livros, seguindo lista de sugestões.

Em Ceilândia, a Diretoria do Fórum incentivou e convocou os colegas a participarem ativamente. Severina Eugênia, supervisora do Núcleo da Diretoria do Fórum de Ceilândia, doou cerca de 90 livros com os filhos. “Fizemos a triagem em nossa casa para que os adolescentes internos tenham a oportunidade de ter acesso às letras e a um novo mundo. Meus filhos aplaudiram a iniciativa da Rede Solidária Anjos do Amanhã, destacando que pequenos gestos fazem diferença na vida de quem tem pouco”, relata.

Na VIJ-DF, dois escritores doaram livros de sua autoria, bem como a diretora administrativa da Vara, Simone Resende, que ofertou alguns exemplares, entre eles o clássico Robinson Crusoé. “Fiz as minhas doações, pois acredito na leitura como caminho para a mudança. A partir da implantação do Projeto na Unidade de Santa Maria, os adolescentes ampliaram o vocabulário e aprimoraram a forma de se expressar. Sem contar que os livros permitem aos internos saírem daquele espaço físico e se transportarem para a história”, diz.

No Fórum de Sobradinho, a supervisora da limpeza, Silvana Cabral, doou 30 livros e incentivou sua equipe a fazer o mesmo. “Leitura é aprendizado, informação e conhecimento. O melhor livro que li até hoje, e que doei para a campanha, foi Um amor de verdade, de Zíbia Gasparetto, que traz uma mensagem de fé, de estímulo à autoestima e ensina a lidar com as pessoas e as adversidades”, afirma.

Outro exemplo de peso foi o do servidor Demócrito Moreira, do Fórum de Planaltina, que articulou com o Colégio Mackenzie, no Lago Sul, a doação de mil livros paradidáticos, além do exemplo da servidora Deusa Dania Barakat, do Fórum de Taguatinga, que doou sozinha mais de 100 livros literários. Também foi expressiva a participação da sociedade civil como a do poeta e escritor brasiliense de coração Nicolas Behr, que doou 118 livros de sua autoria e de colegas. Instituições como Superior Tribunal de Justiça (STJ), Ministério de Minas e Energia e Banco Central também deram a sua valiosa contribuição.

O engajamento do voluntariado corporativo e da sociedade só reforça a máxima de que devemos fazer o bem, sem olhar a quem. A solidariedade é um bom ensinamento para os jovens do sistema socioeducativo que estão querendo virar a página e construir um novo futuro.

Sobre o Projeto

O Projeto Leitura – a Arte do Saber é desenvolvido na Unidade de Internação de Santa Maria (UISM). Atualmente, a Unidade possui um acervo com 1,5 mil obras classificadas conforme a complexidade e o gênero. A maior parte fica na biblioteca e a outra é organizada dentro de um carrinho. Uma vez por semana, um servidor do local percorre os corredores dos módulos com a biblioteca móvel, recolhendo e entregando livros.

A partir da leitura, os jovens elaboram textos que, depois de corrigidos, valem bonificações e podem integrar os relatórios que são entregues à juíza na hora de reavaliar o cumprimento da medida. Aproximadamente 90% dos 150 adolescentes internos da UISM passaram a se interessar pela leitura e a ler cerca de dois livros por semana, oito por mês.

Mosaico doações fóruns com legenda