AGU visita VIJ-DF para conhecer a trajetória de sucesso da Rede Solidária Anjos do Amanhã

por AP/SECOM-VIJ/DF — publicado 2018-03-23T11:55:00-03:00

AGU e Anjos

Nesta terça-feira, 20/3, procuradores e servidores da Advocacia Geral da União – AGU que integram o Programa Compartilhar AGU Voluntariado visitaram a sede da Justiça da Infância e da Juventude do DF, para conhecer a trajetória de 12 anos da Rede Solidária Anjos do Amanhã – RSAA, programa de voluntariado da Vara da Infância e da Juventude do DF – VIJ/DF.

Participaram do encontro os procuradores federais Oswaldo Chagas Cavalcante Junior e Ana Cristina Velloso Cruz, além de servidores da AGU. “Temos a intenção de fazer um trabalho humanizado e mudar a realidade das pessoas, então eu agradeço a oportunidade de ser recebida na Vara da Infância e aprender com quem tem mais de 10 anos de experiência com o voluntariado”, manifestou a procuradora federal Ana Cristina Velloso.

Ao chegar na VIJ, a equipe da AGU foi recebida pelo juiz titular da VIJ-DF, Renato Rodovalho Scussel. A reunião ocorreu no gabinete do juiz titular, onde estiveram presentes o supervisor Gelson Leite e os servidores Adriana Lara e Reginaldo Pinheiro, todos da RSAA. “É um grande prazer recebê-los aqui, o nosso desejo é que o exemplo da Rede Solidária seja replicado”, revelou Gelson.

O juiz Renato Scussel, idealizador do programa, aproveitou a oportunidade para compartilhar como nasceu o voluntariado nas dependências do Fórum da Infância. “O trabalho desempenhado pela VIJ é referência para a comunidade, pois vamos muito além da prestação jurisdicional, atuamos com processos infracionais, medidas protetivas, fiscalização de abrigos e de eventos onde há a presença de crianças e adolescentes. Então, no decorrer das nossas atividades, percebemos as necessidades dos nossos jurisdicionados”, ressaltou.

De acordo com o juiz, o trabalho desempenhado pela VIJ compreende também a área técnica e a interface com a sociedade. Assim, as pessoas sempre buscaram o Fórum da Infância e da Juventude para oferecer seus serviços, doações, tempo e disponibilidade em prol da crianças e adolescentes. Logo, segundo o juiz, a Rede Solidária surgiu de maneira espontânea. “Foi uma questão de estratégia, criamos uma ponte entre os voluntários e os beneficiários”, frisou Renato.

O supervisor explicou que, no decorrer dos 12 anos de atuação, o programa foi ganhando forma. “Muitas ações foram implementadas. Hoje fazemos campanhas para os servidores ajudarem e capacitamos as equipes técnicas das instituições de acolhimento”, revelou o juiz.  Ao longo do encontro, Gelson ressaltou que o juiz Renato Scussel foi um vanguardista quando criou a Rede Solidária. “O programa tem uma força vocacional enorme aliada à justiça, além de muita credibilidade perante a sociedade”, destacou Gelson. Ele falou ainda sobre a importância do crescimento do voluntariado corporativo na esfera pública. “Fico muito feliz com esse movimento surgindo na AGU. O trabalho com o voluntariado é uma realidade desafiadora e complexa, que evidência a carência das políticas públicas do país, mas ao mesmo tempo é muito gratificante”, mencionou.

Apresentação da Rede

Saindo do gabinete, os membros da AGU, acompanhados pela equipe da Rede Solidária, seguiram para o auditório da VIJ, onde assistiram uma apresentação sobre a trajetória da RSAA e as suas formas de atuação. Na ocasião, foram citados casos reais, que exemplificaram a atuação da Rede em prol de seu público-alvo. “Nossos beneficiários são crianças e adolescentes em situação de risco, que passam por negligência, maus-tratos e abandono”, mensurou Gelson. AGU e Anjos 2 

Gelson expôs ainda uma grande preocupação da Rede Solidária: “temos uma questão muito delicada, que são os jovens que precisam sair das instituições de acolhimento quando completam 18 anos e não foram amparados por uma família. Então, eles ficam desassistidos de direitos e garantias das crianças e dos adolescentes”, revelou Gelson.

No momento final da explanação, a procuradora Ana Cristina confessou estar maravilhada com o trabalho realizado pelo programa de voluntariado da VIJ. “Que alegria estar aqui, agradeço a atenção e a oportunidade de somar conhecimentos ao Programa Rede Solidária Anjos do Amanhã”, compartilhou. Segundo Ana Cristina, o Programa Compartilhar AGU Voluntariado está em fase de construção. “Estamos estruturando o serviço voluntário no âmbito da AGU, visando fomentar ações compartilhadas de engajamento institucional em atividades solidárias e transformadoras que promovam evolução pessoal e profissional, em benefício de toda a sociedade”, verbaliza a procuradora.

Rede Solidária Anjos do Amanhã 

A Rede Solidária Anjos do Amanhã é um programa de voluntariado criado em 2006 pela VIJ/DF. Hoje, faz parte da estrutura organizacional da Vara e tem como missão gerar oportunidades para que crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social residentes no DF possam ter acesso aos direitos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente.

As ações da Rede Solidária Anjos do Amanhã são desenvolvidas por meio da atuação de parceiros voluntários – pessoas físicas ou jurídicas. Para se tornar um voluntário da Rede Solidária, o interessado deve se inscrever por meio de formulário disponível na página do programa na internet ou entrar em contato pelo e-mail anjosdoamanha@tjdft.jus.br ou pelos telefones (61) 3103-3286/3285.