Formatura conclui primeira turma fruto de acordo para profissionalização de socioeducandos do DF

por Daphne Arvellos/SECOM/VIJ-DF/TJDFT — publicado 2019-08-15T22:00:00-03:00

AutoridadesmesaO Fórum da Infância e da Juventude do Distrito Federal recebeu, nesta quinta-feira (15), a cerimônia de formatura da Primeira Turma do Curso de Aprendizagem Profissional com socioeducandos da Unidade de Internação do Recanto das Emas (Unire) fruto de Acordo de Cooperação Técnica celebrado no ano passado entre o Tribunal de Justiça (TJDFT), a Procuradoria Regional do Trabalho da 10ª Região, a Superintendência Regional do Trabalho, o Ministério Público (MPDFT), a então Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude, a Defensoria Pública (DPDF) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

Os 26 formandos receberam certificados das mãos de representantes das entidades parceiras e foram prestigiados por suas famílias, além de diversas autoridades. Junto com jovens da Unidade de Internação de Santa Maria que tiveram o evento de formatura nesta quarta-feira (14), no auditório do Senai Gama –, os socioeducandos integraram o projeto-piloto de profissionalização. Durante dez meses, os meninos participaram de oficinas, aulas práticas e teóricas ministradas pelo Senai dentro das unidades socioeducativas, com vistas à inserção no mercado de trabalho. Em Santa Maria, foi oferecido o curso de assistente administrativo; no Recanto das Emas, o de pedreiro revestidor ambos com contrato de trabalho remunerado durante a capacitação. Com a adesão do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) ao acordo, no último mês de maio, o projeto foi expandido para as unidades de Planaltina e São Sebastião.

Na formatura desta quinta-feira, avice-presidente do TJDFT, desembargadora Sandra De Santis, destacou a participação dos jovens no curso. “É preciso coragem para escolher o caminho mais difícil, em que os resultados não são imediatos, requerem estudos e dedicação. A educação é o primeiro passo, não só para a inserção no mercado de trabalho, mas o futuro de vocês”, disse.

laviniaA juíza titular da Vara de Execução de Medidas Socioeducativas (VEMSE), Lavínia Tupy, gestora do acordo no TJDFT, lembrou o engajamento que possibilitou a efetivação do projeto: “Houve um movimento de educadores e dos jovens em buscar o aprendizado que estava sendo ministrado, que se dedicaram a conquistar o direito a uma profissão. Movimento de uma rede de pessoas para que esse projeto e momento memorável acontecessem.” A magistrada afirmou ainda que foi dado um passo muito importante:Eu olho para vocês com olhar de otimismo e esperança. Não estou dizendo que não haverá dificuldades, mas que hoje vocês estão mais preparados para enfrentá-las porque houve o primeiro passo”.

O papel ativo dos jovens também foi lembrado pela procuradora do Ministério Público do Trabalho (MPT) Ana Maria Villa Real, idealizadora e mobilizadora do projeto. Nossos verdadeiros parceiros são os jovens aprendizes que conseguiram, com resiliência, segregados do convívio da sociedade e da família, captar o potencial da aprendizagem profissional”, disse. O diretor regional do Senai no DF, Marco Antônio Secco, também defendeu as possibilidades proporcionadas aos formandos por meio da iniciativa: “Educação e trabalho são asas do mesmo pássaro. Os dois somados permitem que você faça a diferença na sua vida e na sua comunidade; permitem o seu protagonismo.

certificadosRepresentando os alunos da capacitação, dois socioeducandos discursaram como oradores da turma. Eles recordaram dificuldades do período, como ausência em momentos importantes da família, mas destacaram as oportunidades que a remuneração proporcionada pelo curso lhes trouxe. “É bom ver que têm pessoas que podem nos ajudar”, disse um dos oradores. Uma das professoras do curso, Jaqueline Ornelas, contou que essa nova possibilidade financeira, ofertada pelo curso, foi um dos destaques elencados pelos jovens, dada a capacidade de cumprir com algumas necessidades de suas famílias.

Nas palavras do professor do Senai Robson Rodrigues, o curso foi dado para além do aspecto profissional. “Mais do que assentar tijolos, falamos sobre o que é viver, sobre respeito”, contou. Os valores além do profissional oferecidos aos participantes do projeto-piloto foram reforçados pelo embaixador da ONU para a Juventude Jeconias Neto, que dirigiu fala aos jovens sobre perseverança e tratou as dificuldades a serem enfrentadas ao longo do caminho da socioeducação. “Quando a gente entende que pode fazer uma ponte para que as coisas mudem, não tem como, as coisas vão mudar. Você pode ser o que você quiser”, completou.

A vice-diretora da Unire, Pollyana Moreira de Assis, lembrou também do papel da integração para que a capacitação fosse possível: “Às vezes trabalhamos cada um por conta própria, o que torna mais difícil ver esses resultados. A grandiosidade desse projeto é que cada um saiu do seu quadrado e criamos um grupo de trabalho”. O curso foi possibilitado com o trabalho conjunto do TJDFT, por meio da VEMSE, do MPT, por meio da Coordenadoria Regional de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente no DF, do MPDFT, do Senai, da Subsecretaria do Sistema Socioeducativo da Secretaria de Justiça e Cidadania do DF, da Superintendência Regional do Trabalho no DF e da DPDF.

FotosUNIRENo evento, os formandos da Unire fizeram juramento e ofereceram apresentações musicais às famílias presentes, à juíza Lavínia Tupy e à procuradora Ana Maria Villa Real. Obras artísticas produzidas pelos alunos, com apoio dos agentes socioeducativos e da equipe da Unidade, ficaram expostas no local do evento, fruto de projeto sobre a cultura popular nordestina que inclui releituras do artista Romero Brito.

Também estiveram presentes na formatura o promotor de justiça Luís Gustavo Lima, representando a procuradora-geral de Justiça do Distrito Federal e Territórios, Fabiana Barreto; o subsecretário do Sistema Socioeducativo do DF, Demontiê Alves, representando o secretário de Justiça e Cidadania do DF, Gustavo Rocha; o defensor público coordenador do Núcleo de Assistência Jurídica de Medidas Socioeducativas, Paulo Balsamão, representando a defensora pública-geral do DF, Maria José Nápolis; o presidente da Associação dos Magistrados do DF, juiz Fábio Esteves; a superintendente do Trabalho do DF, Rafaele Menezes; a subsecretária de Políticas para Crianças e Adolescentes do DF, Adriana Faria; o conselheiro do Conselho Nacional de Justiça Francisco Frota.

Fotos: Renata Araujo e Matheus Camilo/SECOM/VIJ-DF