Anjos do Amanhã apoia projeto esportivo para inclusão de crianças e adolescentes

Evento promovido no auditório do Fórum da Infância e da Juventude recebe 150 crianças e adolescentes e voluntários de projeto esportivo apoiado pela Rede Solidária Anjos do Amanhã
por Liliana Faraco de Freitas — publicado 2019-12-09T15:57:00-03:00

Rede gol.jpegNa última sexta-feira (6/12), um dia depois de se comemorar o Dia Internacional do Voluntário, o auditório da Fórum da Infância e da Juventude do Distrito Federal lotou com a presença de representantes, crianças e adolescentes vinculados ao projeto “Rede Social Gol Transformando Vidas”, que é parceiro da Rede Solidária Anjos do Amanhã, programa social da Vara da Infância e da Juventude do DF (VIJ-DF). Cerca de 150 meninos e meninos, em situação de vulnerabilidade social, receberam kits de materiais escolares, bolas, coletes, chuteiras e uniformes de treinamento para 2020, entregues por doadores da Rede Social Gol. Voluntários e representantes dos doze núcleos de futebol descentralizados que integram o projeto Gol em diferentes regiões administrativas do DF receberam certificados de reconhecimento pelo trabalho, assinados pela VIJ-DF e pelo projeto.

O papel da Rede Solidária Anjos do Amanhã, além de apoiar e emprestar credibilidade à Rede Gol,  consiste em indicar meninos e meninas que vivem em entidades de acolhimento e jovens que cumprem medidas socioeducativas para frequentar os treinamentos de atividades esportivas propiciados pelo projeto. Atualmente o público infantojuvenil é beneficiado com aulas de futebol e judô. “No próximo ano, haverá karatê, futebol de salão e balé”, diz a coordenadora do projeto, Deiza Carla Medeiros Leite, que também é servidora do TJDFT.

Promover a inclusão e reinclusão social de tantas crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social do Distrito Federal requer da Rede Solidária Anjos do Amanhã apoiar projetos, como o da Rede Social Gol, que vem mostrando forte potencial de alcance desse público desde que foi criado em 2014. “Começamos com 63 e hoje temos 718 crianças e adolescentes cadastrados”, comemora a coordenadora Deiza, que credita a ampliação à articulação com outras iniciativas locais das regiões administrativas do DF, que formam os doze núcleos da Rede Gol. “A Gol surge como rede fortalecedora de projetos sociais já existentes em cidades satélites e que têm dificuldades de se manter de forma qualitativa”, explica.

Apoio de voluntários

Rede Gol 2.jpegO supervisor Gelson Leite, da Rede Solidária Anjos do Amanhã, foi contemplado com certificado de reconhecimento pela parceria e explica como acontece essa articulação: “Há uma reciprocidade entre a Rede Gol e o Anjos, um apoia o outro. A Gol funciona como uma central de vagas na área de esporte, especialmente de futebol. Quando encaminhamos um menino jurisdicionado, a Deiza compreende que se trata de uma prioridade e busca a vaga mais adequada para nossa demanda, na região onde reside o garoto. Nesse sentido, temos total interesse em fortalecer os projetos comunitários desse porte pois também nos auxiliam a encurtar distâncias”, relata Gelson sobre a importância da parceria. Dos 718 cadastrados, há 215 crianças e adolescentes encaminhados pela VIJ-DF, que estão sob medidas protetivas e socioeducativas ou então são egressos do sistema socioeducativo.

Rede Gol 6.jpegA Rede Gol sobrevive de doações de bens e serviços de voluntários, como os servidores da Vara de Execução de Medidas Socioeducativas, que doaram chuteiras, e o escritório de advocacia Araújo, Birenbaum e Diniz, que presta assessoria jurídica aos contratos da Gol e fazem doações pontuais. “Temos satisfação em ajudar. Não tem preço ver crianças felizes, que se dedicam ao esporte, pois isso influencia positivamente nos estudos. Educação e esporte devem caminhar juntos para que esses meninos tenham um futuro brilhante”, declara Daniel Birenbaum, um dos sócios. Para o advogado e sócio do escritório Lucas Araújo, o propósito do projeto é, como o nome do projeto diz, “transformar a vida de pessoas que não tiveram tantas oportunidades que nós tivemos. A Deiza toca no peito e na raça, sozinha, e queremos ajudá-la na estruturação do projeto, trazendo também nossos clientes para essa parceria”.  A advogada Cíntia Diniz reconhece que o selo da VIJ-DF conferido ao projeto Gol “proporciona confiança, credibilidade e temos a certeza de se tratar de um projeto sério que tem a finalidade de transformar vidas”, comenta a sócia.

Ao final, Deiza agradeceu a todos e se voltou às crianças dizendo “esse local é simbólico. Aqui nesse Fórum fica a Vara da Infância e da Juventude, especializada no atendimento de crianças e adolescentes. Essa Vara busca protegê-los e resguardá-los em seus direitos, para que vocês possam ter o máximo de qualidade em suas vidas”, esclareceu.

Rede Gol 5.jpegAnimados com os novos uniformes, os atletas Caio, 10 anos, volante; Guilherme, 9 anos, lateral e atacante; e Cleomar, 9 anos, atacante e volante, são moradores de São Sebastião e treinam futebol society no núcleo parceiro do projeto Gol na região. Eles participam duas vezes na semana no contraturno escolar e dizem ficarem tristes quando se ausentam porque adoram treinar o esporte.

Quando as redes Gol e o Anjos do Amanhã se unem é sucesso garantido e sempre dá bola na REDE!