Anjos do Amanhã completa 15 anos de histórias de solidariedade

por Liliana Faraco de Freitas — publicado 2021-09-22T14:08:00-03:00

A Rede Solidária Anjos do Amanhã, programa de voluntariado da Vara da Infância e da Juventude do Distrito Federal (VIJ-DF), completa 15 anos nesta quarta-feira, dia 22/9, e registra dados positivos, com elevado número de ações e doações dirigidas a milhares de crianças e adolescentes jurisdicionados das varas infantojuvenis do DF.

Números exitosos

Arte com dados de números de doações realizadas pela Rede Solidária em 15 anos: 10.459 serviços prestados; 241.751 bens materiais e de consumo e 66,58 toneladas de alimentos doados. Na parte superior, logo do programa, e na inferior, logo da VIJ/TJDFT.Desde que foi criada em 2006, a Rede Solidária contabilizou 10.459 serviços prestados pelos seus voluntários, que, de forma direta ou indireta, beneficiaram crianças, adolescentes, seus familiares e os profissionais da rede de atendimento infantojuvenil do DF. Os serviços estão ligados à garantia dos direitos à saúde, educação, lazer, esporte, cultura, convivência familiar e comunitária e formação profissional. Assim o Anjos do Amanhã consegue levar cidadania e dignidade a uma média de 3 mil crianças e adolescentes atendidos pela Justiça da Infância e da Juventude do DF.

No caminho da superação da vulnerabilidade, meninos e meninas se deparam com variadas necessidades materiais, como alimento, vestuário, cadeira de rodas, enxoval de bebê, material escolar. Nesses 15 anos, a Rede Solidária intermediou a doação de 241.751 bens materiais e de consumo e 66,58 toneladas de alimentos, arrecadados em campanhas com o público em geral ou por meio de contribuições individuais para atender demandas específicas. 

“A Rede Solidária é um instrumento importante no que se refere a amparo, oportunidade e proximidade da justiça social aos mais desfavorecidos, desde o apoio nas necessidades mais básicas e imediatas, como alimentação e saúde, até os sonhos, oportunidades e projetos dos jovens”, sintetiza o supervisor do programa, Márcio Alves.

Para cumprir a missão de gerar as oportunidades para que as crianças e adolescentes tenham acesso aos seus direitos e sonhos, o Anjos do Amanhã serve de ponte para ligar a necessidade à solidariedade, ponta esta na qual estão os voluntários, que chegaram a 761 cadastrados no programa ao longo desses 15 anos. Atualmente, existem 122 voluntários ativos. A diversidade desse banco de talentos contribui para preencher as lacunas apresentadas pelo público-alvo.

Alves traduz o papel dos voluntários e do programa nessa teia de proteção aos direitos infantojuvenis: “O elevado grau de sucesso das ações que lançamos é possível graças à atuação dos voluntários, os Anjos do Amanhã, que não medem esforços para ajudar o próximo. E a contrapartida que recebem, além da espiritual, é a nossa garantia de que seu recurso vai para quem realmente precisa.”

Histórias de solidariedade e superação

Duas médicas com jalecos cor branca e menino adolescente no meio delas com camiseta vermelha.Adolescente com vestido rosa longo e decoração atrás de 15 anos.

Seriam apenas números se não revelassem boas histórias e realidades transformadas. E o Anjos coleciona muitas delas. Márcio cita exemplos recentes como o da oftalmologista Cristiana Bertin, voluntária desde 2016, que reuniu esforços para restabelecer a visão de um menino de 14 anos que estava ficando cego, bem como o caso da menina institucionalizada que realizou o sonho de uma festa de 15 anos por meio de contribuições voluntárias. “O ideal de solidariedade e o empenho dos voluntários frequentemente nos impressionam com a grandeza de suas ações”, constata Márcio.

Servidora lotada na Rede Solidária desde 2012, Adriana Lara destaca casos recentes de superação que traduzem as frentes de atuação do programa. Ela conta que duas jovens egressas de entidade de acolhimento que estagiaram no TJDFT, graças a um acordo de cooperação envolvendo o Anjos do Amanhã, tiveram acesso a curso técnico de Enfermagem. As parcerias com entidades e pessoas voluntárias e o trabalho de mentoria desenvolvido pela Rede Solidária auxiliaram nessa conquista. Uma delas concluiu o curso no Colégio Barão do Rio Branco, localizado no Itapoã, e trabalha em uma clínica de exames laboratoriais. A outra é aluna do CIES – Centro Integrado de Saúde, cujas mensalidades são custeadas por voluntários do Anjos. “Ela foi indicada para estágio na área e caminha em direção à sua autonomia”, orgulha-se Adriana.

O trabalho de mentoria alcança várias necessidades de outros jovens atendidos pelo Anjos do Amanhã. Adriana conta que uma jovem acolhida, ao retornar para seu lar, onde há suporte precário da família, se deparou com uma dívida de 18 mil reais de conta de água. Estagiária e com escassos recursos, a garota foi orientada pelo Anjos a buscar o caminho jurídico correto e, com a ajuda da Defensoria Pública, a causa foi ganha e a dívida zerada.

Projetos para a vida

Um dos eixos de atuação da Rede Solidária é a inserção no mercado de trabalho e o incentivo à autonomia e à autorresponsabilidade dos adolescentes para prepará-los aos desafios da vida adulta. Adriana cita projetos parceiros que estão sendo realizados no Lar de São José, como o Bora Jogar, articulado pela Associação dos Jovens Empreendedores, e o Projeto de Vida, executado pela UnB e pelo Instituto Federal de Brasília. Ambos utilizam a gamificação com grupos de jovens para estimular de forma lúdica a interdependência, a tomada de decisão e outras competências.

No Bora Jogar, há gincanas e projetos científicos, como a construção de robôs, drones e foguetes a partir de materiais reciclados. A ideia é desenvolver habilidades nas áreas científicas e tecnológicas, bem como despertar os jovens para a interação e a competitividade. “Também estamos trabalhando para trazer a cooperação em contextos de negociação e consenso como caráter educativo”, diz Adriana.

O Projeto de Vida é um jogo de interpretação de papéis (Role Play Games ou RPG) que convida os participantes a criarem um personagem e a participarem de uma aventura. Através de micromundos virtuais, eles vivem diferentes cenários em que deverão resolver problemas e decidir colaborativamente.

Em 15 anos de existência, a Rede Solidária vem trabalhando para que crianças, adolescentes e suas famílias possam redesenhar suas vidas e recontar suas histórias e, desse modo, buscar um desfecho permeado de conquistas e superações. 

Saiba mais

A Rede Solidária Anjos do Amanhã é um programa de voluntariado criado em 2006 pela VIJ-DF. O objetivo da iniciativa é dar oportunidades para que crianças e adolescentes expostos a situações de vulnerabilidade social, violência física, psicológica, sexual ou estrutural residentes no DF possam ter acesso aos direitos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Torne-se um voluntário

O programa busca parceiros que possam oferecer seu talento ou serviço, a fim de atender as necessidades de crianças, adolescentes e suas famílias nas áreas de saúde física e mental, educação, moradia, cultura, lazer, entre outras. Para saber mais e como se tornar um voluntário, acesse aqui a página do programa.