Gestão de Riscos

Por que fazer Gestão de Riscos?

Uma realidade de qualquer organização é o fato de não haver recursos infinitos. Em virtude dessa escassez de recursos, é essencial a aplicação das boas práticas gerenciais e a priorização da alocação de recursos às questões mais críticas.

Governança e Gestão de Riscos

A governança institucional se apresenta como um conjunto de práticas de liderança, estratégia e controle  que têm por objetivo direcionar, gerir e controlar as atividades de uma organização. Nesse contexto, a gestão de riscos está inserida, como uma dessas práticas de governança. 

A gestão de riscos pode ser aplicável a qualquer situação, atividade, projeto ou processo no âmbito de uma organização, pois risco é toda incerteza que pode afetar o atingimento dos objetivos do que se pretende realizar, seja de forma positiva, seja de forma negativa.

Política de Gestão de Riscos e Controles do TJDFT

A metodologia de gestão de riscos e controles do TJDFT adotou como fundamentos teóricos, principalmente, as recomendações da Associação Brasileira de Normas Técnicas – NBR ISO 31000:2009, Gestão de riscos: princípios e diretrizes – e o Referencial Básico de Gestão de Riscos do TCU.

Em 2017, o TJDFT iniciou a aplicação da metodologia de gestão de riscos no “metaprocesso" da área de contratações, em resposta ao disposto no Acórdão 2743/2015 do TCU, que recomendou estabelecer diretrizes para o gerenciamento de riscos na área de aquisições.

A Política tem o objetivo de estabelecer princípios, objetivos, diretrizes, estrutura e responsabilidades a serem observadas no processo de gestão de riscos do TJDFT, nos níveis estratégico, tático e operacional.

Guia de Gestão de Riscos e Controles

A metodologia apresentada no Guia foi elaborada pelo grupo de trabalho da Secretaria de Planejamento e Gestão Estratégica – SEPG, em parceria consultiva com a Secretaria de Controle Interno — SECI, com o propósito de orientar o gerenciamento de riscos em todas as atividades desenvolvidas no âmbito do Tribunal.

Gestão de riscos passo-a-passo

Saiba passo-a-passo como o TJDFT tem aplicado a gestão de riscos em suas unidades.

Comitê de Governança e Gestão Estratégica – CGGE

O TJDFT conta com o CGGE para, entre outras atribuições: monitorar, avaliar, revisar e propor alterações na política de gestão de riscos e controles do TJDFT; monitorar o tratamento dos riscos; propor adequado grau de apetite e tolerância a riscos à Administração Superior do TJDFT; analisar e encaminhar o relatório de análise crítica e o mapa de riscos organizacionais à Administração Superior.