Aposentadoria – O que define uma vida?

Supervisor do Programa de Preparação para Aposentadoria no TJDFT Diogo Wernik de Carvalho
por Diogo Túlio Wernik de Carvalho — publicado 2021-01-21T13:30:00-03:00

“É difícil entender o que resume ou define uma vida. Algumas pessoas dirão que são as amizades que ficaram para trás. Alguns acreditarão que a definição é medida pela fé que tiveram. Outros, sobre o quanto amaram. Outros falarão que a vida não tem sentido algum...” Assim começa o filme Antes de Partir, com Jack Nicholson e Morgan Freeman, sobre uma lista com coisas que os dois personagens, interpretados por estes atores, desejam realizar antes de morrer.

E nesta pequena introdução, cheia de reflexões, é possível observar o quão particular é a vida de cada ser humano. Ao falar de aposentadoria, este tipo de reflexão é comum. O que realmente importa nesta vida?

Após dedicar muitas horas, dias e anos da vida para uma profissão, para alguns, finalmente chega aquela sensação de dever cumprido, de contribuição para sociedade, para comunidade e para o órgão ou empresa na qual a pessoa trabalhou. Mas e depois, o que vem? As palavras que me vêm à cabeça são recomeço e propósito.

O propósito de vida não é algo estático, mas sim muito dinâmico e possível de ser ressignificado de tempos em tempos. Então é uma das grandes forças geradoras de movimento, principalmente em momentos de grandes mudanças. O propósito pode ser redefinido, como provavelmente foi muitas vezes em outros momentos. Uma pergunta que acredito ser importante para o momento é: O que traz significado para mim hoje?

Essa é uma pergunta aberta. A resposta pode ser um guia para nossas escolhas presentes, e também pode determinar a qualidade com a qual viveremos o nosso futuro. A verdade é que depois da aposentadoria existe muito futuro ainda, quem sabe 30 ou 40 anos pela frente. Investir nosso tempo extra em algo significativo faz todo diferencial, pois nos traz a sensação e percepção de produtividade e valor pessoal, na vida vinculada a uma empresa e também na aposentadoria.

Existem desafios para aqueles que chegam lá, tanto externos, quanto internos. Mas acredito que o sucesso da aposentadoria diz respeito também a como vivemos o nosso presente. A nossa jornada é composta de muitos setores, muitos pilares ou alicerces. A profissão é um deles, e se relaciona à nossa contribuição para o mundo, aquilo que fazemos e que tem valor para os outros seres, incluo aqui seres humanos, animais e natureza. Harmonizar a experiência produtiva aos vários outros setores da vida é uma arte e nem sempre é fácil. Mas uma vida bem vivida inclui: as relações sociais com os amigos e familiares; a saúde física, mental e espiritual; uma boa gestão financeira; e há quem diga que até os erros e más escolhas são importantes e possuem um peso, um significado e um aprendizado.

A partir disso, podemos pensar e refletir sobre as batalhas vividas por cada pessoa que passou pela instituição onde trabalhamos hoje, os desafios profissionais e pessoais vividos por cada um durante a trajetória. Imagino que em alguns momentos o trabalho possa ter servido como suporte. Mas que em muitos momentos a instituição cresceu, evoluiu, se transformou devido aos trabalhadores que ali estavam dedicando suas horas de vida àquela missão.

Ainda no filme citado no início deste texto o personagem continua a reflexão: “... para mim o que traz significado é o número de pessoas que dão continuidade aos nossos passos...”. Para nós que estamos hoje trabalhando e também dando continuidade ao caminho daqueles que já passaram pela instituição, cabe o reconhecimento e valorização de todos os trabalhadores - servidores, magistrados e terceirizados que estiveram antes de nós nesta jornada.

Muito do que desfrutamos hoje foram conquistas daqueles que nos antecederam, que colocaram os primeiros tijolos e às vezes fizeram um trabalho duro e com menos recursos, que abriram espaços para trilhar os caminhos necessários. Valorizar os atuais aposentados é valorizar o nosso passado, valorizar aqueles que abriram espaços para nós. E quando falamos sobre o Judiciário, temos muito a agradecer.

A missão do Judiciário é muito nobre, visto que sua finalidade é servir aos outros, dar suporte àqueles que precisam de ajuda na defesa dos seus direitos, ajudar na harmonização e pacificação dos conflitos. A prestação do serviço jurisdicional é extremamente essencial à sociedade e se evoluiu muito, isso se deve também aos gestores e servidores que passaram pela instituição e dedicaram muito tempo (em alguns casos, muitos anos) de suas preciosas vidas, para esta atividade tão honrosa.

Atualmente, o TJDFT possui um programa de preparação para aposentadoria, cujo objetivo é trazer reflexões sobre esta etapa da vida. No programa procuramos alternar experiências vivenciais e informativas com o auxílio de especialistas de diferentes áreas de conhecimento.

Na data em que se comemora o Dia do Aposentado - 24 de janeiro - , nós, sociedade e servidores da ativa agradecemos a imensa contribuição que prestaram, reconhecemos o valor que possuem, os desafios que enfrentaram e desejamos uma aposentadoria plena, cheia de saúde e com muita fartura daquilo que considerem importante, conscientes de que o sentido da vida somos nós que damos a ela.

Diogo Túlio Wernik de Carvalho é supervisor do programa de preparação para aposentadoria do TJDFT.