Acusado de matar namorada após sequestrá-la na UnB será julgado quinta,12

por ACS — publicado 2012-04-10T00:00:00-03:00
O Tribunal do Júri de Brasília leva a julgamento, quinta-feira (12/4), a partir das 9h, Marcelo Bauer, 45 anos, acusado de matar a namorada Thaís Muniz Mendonça em 1987.

Narra a denúncia que, entre os dias 10 e 11 de julho de 1987, Bauer teria sequestrado a moça no campus da Universidade de Brasília, e após asfixiá-la com substância tóxica e deixá-la completamente desfalecida, a teria puxado para o seu veículo e, de maneira cruel, desferido contra ela 19 facadas na região mamária e carotidianas para "a seguir, em local ermo, no matagal existente nas proximidades da SQN 415, na direção do Lago Norte, disparar-lhe um tiro de revólver na região parietal esquerda, causando-lhe, assim, as lesões que foram a causa eficiente de sua morte". Para o Ministério Público, o rapaz teria agido por contrariedade, desejos, ânsia de posse da pessoa amada, ciúme e sentimentos de vingança e já havia cometido várias ameaças e tentativas de seqüestro e de morte contra ela.

Em 2009, foi nomeado o Núcleo de Prática Jurídica do UniCeub para patrocinar a defesa do réu. No mesmo ano, uma decisão unânime da 2ª Turma Criminal , confirmou o julgamento de Bauer, que atualmente se chama Marcelo Nielsen, pelo júri popular. Segundo o voto do relator, a materialidade do caso foi comprovada pelo Laudo de Exame Cadavérico, Laudo de Reconhecimento e pelos depoimentos testemunhais. Quanto à autoria, havia indícios de que Marcelo cometera o crime. Isso porque, logo após ser pronunciado, se ausentou do Distrito Federal. "Tudo indica que saiu do país com documentos falsos, encontrando-se foragido até a presente data (28/05/2009), mesmo sabedor da existência do processo e da expedição de mando de prisão preventiva em seu desfavor", afirmou, na época, o Desembargador Arnoldo Camanho.

O julgamento estava agendado para o dia 9/11 do ano passado, mas foi adiado a pedido do advogado de defesa explicando que se encontrava doente e hospitalizado. O crime prescreverá apenas em 22/05/2029.