Fórum Verde integra exposição internacional na UnB

por ACS — publicado 2012-06-13T00:00:00-03:00
O Fórum Desembargador Joaquim de Sousa Neto, conhecido como Fórum Verde, foi o único projeto brasileiro incluído na exposição internacional "A complexidade do projeto contemporâneo para uma arquitetura responsável", na galeria da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da Universidade de Brasília - UnB, que teve início nesta terça-feira, 12/6. Interessados em arquitetura sustentável e eficiente poderão conferir a exposição, que reúne 30 projetos de renomados arquitetos internacionais e nacionais, até o dia 19/6, das 8h às 18h. No primeiro dia da exposição, 12/6, os arquitetos italianos Massimo Ciamarra e Francesco Biachi, da Universitá Roma Tre, ministraram palestra sobre o tema para alunos, ex-alunos e arquitetos.

A coordenadora da FAU, professora Cláudia Naves David Amorim, acredita que os projetos de arquitetura responsável cuidam mais de detalhes, são mais complexos e não necessariamente mais caros. E cada vez mais, arquitetos de renome internacional incorporam a arquitetura sustentável e eficiente em seus projetos. A mostra foi organizada pela Embaixada da Itália, Associação Itália Brasil para um Ambiente Sustentável - IBAS e Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da Universidade de Brasília - UnB.

Inaugurado em abril de 2011, o Fórum Desembargador Joaquim de Sousa Neto é a primeira obra sustentável do judiciário brasileiro e a primeira a ser construída no Centro-Oeste. Com uma concepção dinâmica e inovadora, a edificação aproveitou ao máximo, em todos os ambientes, a iluminação natural e a ventilação cruzada, o que garantiu a redução do uso de iluminação artificial e do ar-condicionado. A leve rotação do edifício dentro do terreno permitiu a criação de floreiras em todos os pavimentos, humanizando o ambiente de trabalho e auxiliando na proteção solar e na melhoria da qualidade do ar. O Fórum possui ainda cobertura ajardinada, o que reduz a carga térmica do edifício. Detalhe importante do Fórum Verde é a localização do terreno, que permitiu a retirada mínima da vegetação nativa para o início das obras e possibilitou que o edifício, após concluído, ficasse totalmente integrado com o entorno.

A obra executada pela CAENGE S.A. Construção, Administração e Engenharia foi projetada pela Zanettini Arquitetura, com a colaboração do Setor de Engenharia e Arquitetura do TJDFT. Segundo a CAENGE, a construção buscou atender aos critérios para a certificação LEED (Liderança em Projetos Ambientais e Energéticos) durante as diversas etapas da construção.

A obra conquistou o terceiro lugar do Prêmio Green Buiding Brasil, na seleção das edificações que mais se destacaram na categoria Obras Públicas. A premiação teve como objetivo reconhecer indivíduos, empresas ou organizações brasileiras por sua obra, produto, serviço, inovação e ações para redução do impacto socioambiental. A premiação destacou as instituições que têm contribuído para o avanço do setor de construção sustentável no Brasil.