TJDFT apresenta trabalho da Central do Idoso em Congresso no Rio de Janeiro

por ACS — publicado 2012-05-21T00:00:00-03:00
A experiência de trabalho da Central de Apoio Judicial do Idoso - CAJI será apresentada no XVIII Congresso Nacional de Geriatria e Gerontologia/2012, que acontece esta semana, entre os dias 22 e 25, na cidade do Rio de Janeiro.

As servidoras Ana Paula Campos e Roseli Costa apresentarão o pôster "Perfil dos Idosos Vinculados às Demandas Recebidas pela Central de Apoio Judicial do Idoso em 2011", que concorre à categoria de melhor pôster do evento. Será também ministrado o tema "Violência à Pessoa Idosa nas Demandas Recebidas pela Central de Apoio Judicial ao Idoso em 2011".

Um trabalho realizado pela Vara de Execuções Penais - VEP com o título "O Idoso em Conflito com a Lei: Relato de Acompanhamento Psicossocial de um Senhor de 82 anos" será também apresentado pela servidora Ana Paula, trazendo a experiência da Seção Psicossocial do setor.

A Central é fruto de um convênio firmado entre o TJDFT e o Ministério Público do DF e de um termo de cooperação técnica com a Defensoria Pública (CEAJUR). Atua com foco na garantia dos direitos estabelecidos pelo Estatuto do Idoso (Lei 10.741/03), buscando assegurar à população idosa do DF o acesso à Justiça por meio de orientação jurídica e de defesa junto ao Poder Judiciário.

Trabalhando com uma juíza, uma defensora e uma promotora, a CAJI realiza análise multidisciplinar das situações de negligência, abandono, exploração ou qualquer outra espécie de violência a que podem estar submetidos os idosos, a fim de encaminhar o caso aos órgãos competentes.

Psicólogos e assistentes sociais também fazem parte da equipe que atua na orientação e prevenção das situações de violência, por meio de ações educativas.

Funcionando no 4º andar do Bloco B do Fórum de Brasília, a Central atende pessoas acima de 60 anos, além de realizar pesquisas sociais, estatísticas, seminários e campanhas educativas voltadas a prevenir os maus tratos contra essas pessoas.

A Central também oferece subsídio às autoridades do sistema judiciário - juízes, promotores e defensores públicos - nos procedimentos que apuram a prática de violação dos direitos do idoso. Mais informações pelo telefone 3103-7609.