Caso Rendrik - prossegue audiência de instrução no Tribunal do Júri de Brasília

por ACS — publicado 2012-03-09T00:00:00-03:00
Começou às 14h de hoje (9/3), a primeira audiência de instrução do processo a que o advogado e professor Rendrik Vieira Rodrigues, 36 anos, responde pelo homicídio da estudante Suênia Sousa Farias, ocorrido em setembro de 2011. Onze testemunhas foram intimadas e os depoimentos tiveram início com a oitiva, durante 50 minutos, de um delegado da 27ª DP (Recanto das Emas) onde o réu se apresentou espontaneamente após o fato, afirmando, conforme auto de prisão em flagrante, haver atirado na moça e que o corpo estaria no carro, no pátio da delegacia. No depoimento, ele esclareceu detalhes do que ocorreu no dia e afirmou ter com o réu apenas um relacionamento acadêmico. Em seguida, foi ouvido o policial que, por ocasião da apresentação de Rendrik à delegacia, foi até o carro verificar onde estava o corpo da estudante. Em seguida, durante duas horas, foi ouvido o ex-companheiro da vítima que relatou, entre outras coisas, haver registrado ocorrência na 12ª DP após falar com Suênia ao telefone e sentir sua voz embargada, o que o fez presumir que ela poderia estar correndo perigo. A audiência prossegure neste momento (17h35), quando tem início a oitiva de uma colega de faculdade de Suênia.

De acordo com o processo, o réu, que se encontra preso, apresentou-se à delegacia, "pois, numa discussão acalorada com sua ex-namorada desferiu, de ímpeto, disparos de arma de fogo contra a mesma, causando-lhe a morte".