Caso Rendrik - testemunhas de defesa são ouvidas e interrogatório deve acontecer em abril

por ACS — publicado 2012-03-12T00:00:00-03:00
Quatro testemunhas arroladas pela defesa de Rendrik Vieira Rodrigues, que responde pelo homicídio da estudante Suênia Sousa Farias, ocorrido em setembro de 2011, foram ouvidas na manhã desta segunda-feira (12/3), em audiência de instrução processual realizada no Tribunal do Júri de Brasília. O interrogatório do réu foi agendado para o dia 13 de abril, a partir das 9h.

Um amigo do acusado, que o conhece há mais de vinte anos, contou que o motivo da separaçao de Rendrik e da esposa teria sido o relacionamento que ele mantinha com a vítima. Segundo o depoente, a relação do casal teria começado com bilhetes enviados por Suênia ao professor. Contou também que o advogado comentara com ele que ajudava financeiramente a vítima e que teria sido ameaçado pelo ex-companheiro da namorada. Um outro amigo do réu há quatro anos, que também dá aulas de Drieto, reputou-o como "profissional de reputação ilibada e um bom professor". Disse que foi visitá-lo no presídio e que Rendrik mostrou-se bastante arrependido. Uma terceira testemunha relatou que, a partir do que Rendrik dizia, parecia ter um sentimento muito forte por Suênia e que havia manifestado medo de perdê-la. Acrescentou que nunca ouviu dizer que o acusado tenha tido algum envolvimento com qualquer aluna.

Foi ouvida também a ex-mulher do ex-companheiro de Suênia que narrou em seu depoimento que, após um casamento de mais de 30 anos, teria se separado do marido em decorrência do relacionamento dele com a moça. Acrescentou que o ex-marido é uma pessoa calma e que não sabe de ameaças feitas por ele a Rendrik.

Na sexta-feira (9/3), foram ouvidas cinco testemunhas de acusação e uma comum. Duas outras testemunhas, que não estão em Brasília, deverão ser ouvidas por Carta Precatória. Após o interrogatório do réu, o juiz proferirá sentença determinando se o acusado, que se encontra preso, irá a júri popular.