Campanha pelo fim da violência contra a Mulher conta com a participação do TJDFT

por GMS/AJ — publicado 2014-12-01T17:15:00-03:00

CJM Mulher 16 diasO TJDFT, por meio do Centro Judiciário da Mulher – CJM/TJDFT, participa da campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres. A iniciativa conta com diversas ações de prevenção ao problema que atinge inúmeras mulheres em todo o mundo.

A campanha criada em 1991, ocorre em mais de 130 países e tem o intuito de promover o debate e denunciar as várias formas de violência contra as mulheres. De acordo com estudos da Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 33% das mulheres do mundo são vítimas de violência física ou sexual e quase metade das que morrem por homicídio é assassinada por atuais ou ex-parceiros. E, segundo a organização, elas estão mais expostas aos riscos de violência em casa do que na rua.

A campanha, acontece de 25/11 a 10/12 e, foi lançada oficialmente no dia 19/11,  em sessão solene realizada no Plenário do Senado Federal. No decorrer desses 16 dias estão previstas diversas ações, como a divulgação de publicações de instituições da Rede de Atendimento às mulheres e familiares com endereços e contatos. O Centro Judicário da Mulher do TJDFT e a Secretária Psicossocial do Tribunal do DF divulgam por meio de folder informativo o que é a Medida Protetiva de Urgência, com objetivo de esclarecer à população sobre o tema, efeitos e importância. O material traz ainda telefones úteis à mulher que se encontra em situação de violência. Outro lançamento será a segunda etapa do projeto Maria da Penha Vai à Escola, desta vez com a capacitação de coordenadores educacionais de Ceilândia.

Clique aqui e conheça o trabalho do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Distrito Federal - CJM/TJDFT que tem por objetivo buscar um modelo de atuação judicial que favoreça o pleno atendimento à Lei 11.340/2006.  O Centro é coordenado pelos Juízes Ben-Hur Viza e Carlos Bismarck Piske de Azevedo Barbosa.