Desembargador Sérgio Bittencourt se despede da magistratura do DF

por AB — publicado 2014-07-11T22:50:00-03:00

Des Sergio BittencourtSessão regimental realizada pelo Pleno do TJDFT, na tarde desta sexta-feira, 11/7, marcou a despedida do desembargador Sérgio Bittencourt da magistratura local. A sessão foi aberta pelo Presidente do TJDFT, desembargador Getúlio de Moraes Oliveira, que atestou "a brilhante e abençoada passagem do homenageado pelo Tribunal", afirmando que ele enobreceu todos os cargos que ocupou e julgamentos que realizou.

Encarregada de discursar em homenagem ao colega, a desembargadora Carmelita Brasil falou do profundo respeito e sincera amizade que nutre pelo magistrado, junto com o qual ingressou no Judiciário do DF. Apesar de afirmar que o realce de alguma faceta deixaria outras (e talvez mais importantes) ocultas, destacou a dedicação, proficiência e grande sabedoria como algumas de suas virtudes, citando o fato de ser mineiro – de Araguari – como sua maior qualidade.

A desembargadora lembrou os vários congressos, seminários, encontros e comissões dos quais o homenageado participou e das condecorações que recebeu em reconhecimento ao trabalho realizado. Somente um juiz vocacionado poderia realizar a obra que ele realizou, afirmou a magistrada, destacando suas realizações, em especial, aquelas à frente da Corregedoria, a qual conduziu na gestão 2010-2012.

Dotado de inteligência invulgar, determinação e amor ao trabalho, suas decisões exemplares deixarão um legado a inspirar aqueles que buscam por justiça, declarou a desembargadora em relação ao colega Sérgio, destacando-lhe, ainda, o caráter, a intransigência e a retidão quanto aos desvios de conduta e afirmando ser o destemor a sua maior marca. Por fim, registrou o respeito ao próximo e o grande amor à família, tão característicos do homenageado, consignando: “Acaba-se uma missão, mas outras virão. Que o sucesso continue iluminando suas próximas realizações”.

Na sequência, representantes do MPDFT, da OAB/DF, da Amagis/DF, magistrados e servidores também proferiram palavras enaltecendo o homenageado e lembrando a convivência prazerosa e proveitosa - seja da pessoa, seja do magistrado; sua atuação sempre em defesa do Tribunal; sua gloriosa missão também no magistério (o desembargador Sérgio foi professor de alguns dos desembargadores presentes na ocasião); experiências no dia a dia do Judiciário, e a “Carta de Alforria” que acabara de ganhar para trilhar novos caminhos.

Emocionado, o desembargador Sérgio agradeceu a todos, lembrando sua trajetória e os servidores que o auxiliaram ao longo da jornada, dizendo ser não credor mas devedor ao Tribunal de uma sincera homenagem. Com a sensação de dever cumprido, declarou-se grato a Deus e, quanto ao tão mencionado respeito ao próximo pelo qual foi definido, afirmou: “Não falo de canhões, guerras e matanças (...) e sim, de paz”.

Essa talvez seja a síntese do desembargador Sérgio Bittencourt – mais de 30 anos dedicados ao Judiciário do DF – que ora deixa a magistratura para percorrer novos caminhos, ao que parece nem tão distantes do Judiciário. É que o desembargador solicitou, ainda que em tom de brincadeira, a recuperação do seu número na Ordem dos Advogados do Brasil ao representante da seccional DF, presente à solenidade, Secretário Geral Adjunto Juliano Costa Couto.