Avaliação da 1ª etapa do Projeto Maria da Penha vai à Escola supera expectativas

por GMS/AF — publicado 2014-12-02T17:05:00-03:00

maria da penha vai a escolaA 2ª etapa de capacitação está prevista para começar no primeiro semestre de 2015 

O projeto Maria da Penha vai à Escola, fruto de parceria entre o CJM/TJDFT, a Secretaria da Mulher, a Secretaria de Educação do GDF e a DEAM/PCDF, realizou encontro para avaliar a primeira etapa dos trabalhos, bem como lançar a segunda etapa, prevista para começar no primeiro semestre de 2015. Com objetivo de dar efetividade à Lei Maria da Penha, a iniciativa já capacitou três turmas de orientadores educacionais e teve avaliação muito positiva dos participantes. 

Os dados avaliativos foram expostos em reunião realizada na última sexta-feira, 28/11, entre os coordenadores do projeto, os executores e representante dos orientadores educacionais das escolas públicas de Ceilândia. A pesquisa realizada pelo CJM demonstrou que o conteúdo do projeto foi considerado adequado às expectativas e aplicável à realidade escolar. Além disso, os participantes pontuaram a atuação dos palestrantes com média superior a 9 e avaliaram o evento com média 9. Entre os pontos fortes foram destacados a intencionalidade das atividades e os esclarecimentos e explicações dadas sobre o tema violência contra a mulher.

A reunião contou com a presença dos Coordenadores do CJM/DF, juízes Ben-Hur Viza e Carlos Bismarck; do 1º Juizado de Violência Doméstica de Ceilândia; da DEAM/PCDF; do Centro Especializado de Atendimento à Mulher; da Coordenação Regional de Ensino de Ceilândia; do Conselho Tutelar; da Secretaria da Mulher; do Serviço de Atendimento à Mulher, do Serviço de Assessoramento aos Juízos Criminais do TJDFT - SERAV; e do Núcleo Permanente e Métodos Consensuais de Solução de Conflitos do TJDFT - NUPECON. 

A próxima etapa de capacitação será aplicada aos coordenadores e gestores das escolas públicas e busca, além de informar, apresentar iniciativas de promoção da Lei nas instituições de ensino locais e de construção de banco de ideias para realização de mais projetos sobre o tema. 

A iniciativa está amparada por uma pesquisa realizada pela Subsecretaria de Políticas para as Mulheres da Secretaria de Mulher do GDF, em parceria com o CJM, junto à população local, em que 97% dos entrevistados consideraram importante abordar a Lei Maria da Penha nas escolas.