Correio Braziliense destaca livro de juiz do TJDFT voltado para concurso da magistratura

por TT — publicado 2014-10-20T13:00:00-03:00

Correio livro Luiz Otávio Rezende

O Correio Braziliense publicou no último domingo, 19/10, na editoria Trabalho, a matéria “Desvendando a magistratura”, que fala sobre o livro “Concurso para a Magistratura: Guia Prático” do juiz do TJDFT, Luiz Otávio Rezende. Além de informações sobre o livro, que prepara o candidato para qualquer seleção de ingresso na carreira da magistratura no país, a matéria traz uma pequena entrevista com o magistrado do TJDFT sobre a publicação.

A obra visa apresentar um panorama completo das regras gerais trazidas na Resolução 75/09, do CNJ, em especial as relativas a cada uma das fases do concurso, com uma exposição detalhada da jurisprudência dos Tribunais Superiores e do CNJ sobre o certame para o ingresso na carreira da magistratura.

O livro traz, ainda, orientações práticas de preparação para as etapas obrigatórias do concurso, além de dicas específicas sobre os recursos e meios de impugnação. Ao final, em formato inédito, inclui entrevistas com vários juízes do TJDFT, TRF 1ª Região, TRT 23ª Região e TJGO sobre o certame para o ingresso na carreira e o exercício da judicatura, com ênfase nas estórias pessoais de cada um até a aprovação nos respectivos certames.

Entre os entrevistados estão os juízes do TJDFT Carla Patrícia Frade Nogueira Lopes, Cristiana de Alencar Lameiro da Costa, Fabrício Castagna Lunardi, James Eduardo da Cruz Moraes de Oliveira, Josmar Gomes de Oliveira e Junia de Sousa Antunes, além de Társis Augusto Santana Lima, que já compôs o TJDFT.

Confira, abaixo, trecho da entrevista do juiz do TJDFT.

Qual a diferença entre seu livro e outros materiais preparatórios para concurso? "Os livros de concurso, em geral, focam no conteúdo da prova, com questões resolvidas e comentadas. Este livro basicamente mostra quais são as fases do concurso, as regras de cada fase e a posição do CNJ e do STJ sobre as ações da banca examinadora. Ele é mais amplo, fala dos percalços do exercício da profissão, além das entrevistas, que mostram o lado pessoal da vida do juiz e humanizam a carreira”.

Para ler a matéria na íntegra, acesse o site do Correio Braziliense.