Acusado de matar amigo é condenado em Taguatinga pelo júri popular

por ASP — publicado 2015-08-20T19:30:00-03:00

Nesta quinta-feira, 20/8, o Tribunal do Júri de Taguatinga condenou Ozéias da Silva Melo a 17 anos de reclusão, em regime fechado, por matar, com disparos de arma de fogo, Nilson Rodrigues Alves, amigo de longa data com quem mantinha negócio irregular de um lote.

O crime ocorreu no dia 21 de julho de 2013, por volta das 7h, em Águas Claras/DF, motivado no interesse de lucro em um terreno irregular. Em uma festa, o acusado aproximou-se e efetuou dois disparos de arma de fogo contra a cabeça da vítima, um dos quais à curta distância.

Em plenário, o representante do Ministério Público sustentou integralmente a acusação e pediu, em caso de condenação, o reconhecimento da agravante da reincidência do acusado, e que sua conduta social seja considerada desfavorável, conforme folha penal. A defesa sustentou as teses de negativa de autoria e, também, a exclusão das qualificadoras. Os jurados reconheceram a materialidade e a autoria, não absolveram o réu e, ainda, reconheceram as qualificadoras do motivo torpe e de que o crime foi cometido mediante recurso que dificultou a defesa da vítima.

Em conformidade com a decisão dos jurados, o magistrado julgou procedente a pretensão punitiva do Estado e condenou o réu como incurso nas penas do art. 121, § 2º, incisos I e IV, do Código Penal.

Não foi concedido ao réu recorrer em liberdade.

Processo: 2013.07.1.029685-0