Aula Espetáculo marca o encerramento das atividades da Escola do TJDFT em 2015

por ACS — publicado 2015-12-01T14:35:00-03:00

Aula Espetáculo – Diálogos Motivacionais no Palco da BrasilidadeAula Espetáculo – Diálogos Motivacionais no Palco da BrasilidadeA Escola de Formação Judiciária do TJDFT - Ministro Luiz Vicente Cernicchiaro realizou, nesta segunda-feira, 30/11, a "Aula Espetáculo – Diálogos Motivacionais no Palco da Brasilidade", com o grupo Choro Livre, do Clube do Choro de Brasília. O evento, que marcou o encerramento das atividades da Escola em 2015, teve a participação especial da Escola de Dança Alex Gomes. A ideia foi contar a história do Chorinho no Brasil e proporcionar uma reflexão sobre as motivações pessoais e profissionais de cada um no encontro da missão institucional.

O evento foi aberto pelo desembargador George Lopes Leite, Diretor-Geral da Escola, e pela desembargadora Carmelita Brasil, 1ª Vice-Presidente do TJDFT, que enfatizaram a sua importância. A aula espetáculo, inserida em um cenário de botequim, foi regida pelo maestro Reco do Bandolim, do Clube do Choro de Brasília, que apresentou um espetáculo musical mesclado com relatos da história do chorinho no Brasil, desde o descobrimento do país. O repertório contemplou composições de Ernesto Nazareth, Jacob do Bandolim, Ary Barroso, Noel Rosa, Pixinguinha, Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Paulinho da Viola, entre outros mestres da música brasileira.

Durante a apresentação, os participantes foram convidados a refletir sobre a cultura brasileira, brasilidade, trabalho em equipe, evolução da música brasileira, recuperação da autoestima e do orgulho de ser brasileiro, conforme os passos de Ariano Suassuna que disse: o brasileiro é formidável, povo maravilhoso! A frase de Suassuna foi relembrada pelo desembargador George Leite ao falar do trabalho em harmonia, em conjunto, que é, conforme palavras do desembargador, o que se espera de nós, magistrados e servidores do TJDFT.

Além de evento cultural, a apresentação foi inovadora, ao maximizar o uso da música e dos sentimentos que ela evoca. Por meio de um contraponto entre música e trabalho, o objetivo foi proporcionar maior sentido de coesão para todas as pessoas que compõem o Tribunal, como forma de fazê-las compreender a necessidade de interligação de vários talentos na realização de um objetivo comum. Inteligência e talento, isoladamente, não são suficientes para produzir resultados significativos!

O Grupo Choro Livre é formado pelo maestro Reco do Bandolim, atual presidente do Clube do Choro de Brasília, com vasta experiência musical; pelo violonista George Costa (violão de seis cordas), estudou com grandes nomes do violão; pelo violonista Henrique Neto (violão de sete cordas), que toca desde os treze anos e se dedica à pesquisa e ao estudo de gêneros que compõe a música brasileira; pelo músico Valério Xavier, tocador de pandeiro, iniciou sua carreira também aos treze anos de idade tocando percussão. Multi-instrumentista, já trabalhou com diversos artistas de renome nacional e internacional; pelo músico Mário Marinho, tocador de cavaquinho, que já acompanhou diversos artistas de renome e tem uma carreira internacional.

Criada pela Lei 11.697/2008 Lei de Organização Judiciária do Distrito Federal e dos Territórios, e regulamentada pela Resolução 18/2015, do Pleno do TJDFT, a Escola de Formação Judiciária do TJDFT - Ministro Luiz Vicente Cernicchiaro é a unidade administrativa de apoio estratégico, vinculada à Presidência, responsável pela educação corporativa no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios – TJDFT e pela orientação ou realização de pesquisas institucionais e sociojurídicas. Entenda-se por educação corporativa o conjunto de ações que visam desenvolver, disseminar e promover o compartilhamento e a aplicação do conhecimento; aprimorar ou desenvolver habilidades; estimular atitudes e difundir a visão e os valores do TJDFT de modo a atingir as necessidades de desempenho individual, organizacional e em equipe, contribuindo permanentemente para o alcance dos objetivos do Tribunal e consequente cumprimento de sua missão.