TJDFT participa de encontro de corregedores do Brasil

por ACS/TJMA — publicado 2015-11-18T16:20:00-03:00

70 ENCOGEO Corregedor de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios, desembargador Romeu Gonzaga Neiva, participa do encontro da 70ª Edição do Colégio de Corregedores de Justiça do Brasil, que teve início nesta quarta-feira, dia 18/11, na Cidade de Barreirinhas (MA). Com a finalidade de debater e aprimorar procedimentos da Justiça de 1º Grau, o evento prossegue até a próxima sexta-feira, dia 20/11, e contará com a prestação de contas por parte da Corregedora do Maranhão e Presidente da entidade, desembargadora Nelma Sarney. O colegiado também definirá a nova mesa diretora para o ano de 2016.

Nesta edição, que tem como tema “O Futuro da Justiça: Desafios para um Cenário Desafiador” um dos principais objetivos é proporcionar um espaço para a troca de experiências entre órgãos correicionais. Apresentarão trabalhos de iniciativa própria as corregedorias do Maranhão, Rondônia, Santa Catarina e Distrito Federal. Nelma Sarney disse que espera resultados concretos que poderão contribuir com a melhor gestão das corregedorias diante do cenário de crise econômica que se apresenta e que deverá ter impacto na atuação do Judiciário em todo o Brasil.

O Encontro de Corregedores - Encoge é realizado três vezes ao ano, a cada quatro meses, e congrega corregedores de Justiça de todo o Brasil. A finalidade do evento é promover o intercâmbio de boas práticas, contribuindo para o aprimoramento dos serviços e para a realização de procedimentos mais uniformes, resultando em celeridade judicial e maior segurança jurídica nas ações do Poder Judiciário.

Atualmente o Colégio se constitui uma das mais importantes entidades do Sistema de Justiça, uma vez que reúne representantes de todo Brasil que propõem medidas concretas para o aperfeiçoamento do 1º Grau de Jurisdição, que é aquele que presta o primeiro atendimento ao cidadão que busca os serviços judiciais para ter seu direito garantido. No 1º Grau tramitam atualmente cerca de 90% dos 100 milhões de processos no Brasil.

Com informações da Asscom/TJMA