Memorial do TJDFT encerra exposições de três artistas nesta sexta-feira

por ACS — publicado 2016-04-27T10:25:00-03:00

Memorial TJDFT

Nesta sexta-feira, 29/4, encerram-se três exposições no Memorial do TJDFT. O espaço, desde o dia 18/4, exibe as mostras “Cuidados”, com ilustrações e pinturas sobre papel, da artista Sília Moan; “Avulsas Inoportunas”, da artista plástica Ropre, que expõe pinturas acrílicas sobre lona intitulada; e, por fim, a mostra “Esperança”, do artista Frank Hopkinson, que exibe pinturas em óleo sobre tela.

As exposições abriram o calendário de 2016 do Memorial do TJDFT, que ao longo de todo ano movimentará o cenário cultural da cidade com exposições de pinturas em telas, fotografias, gravuras e esculturas e lançamentos de livros. O Memorial TJDFT funciona de segunda a sexta, das 12h às 19h, no 10º andar do bloco A do Fórum de Brasília.

Cuidados

A exposição “Cuidados” acontece em sincronia com o Dia do Índio, 19/4, e traz a produção de quatro pinturas de registro e valorização dos povos originários do Brasil. A exibição traz os olhares capturados por Sília Moan em suas imersões com diversas etnias. As obras apresentam  elementos culturais mesclados e reprogramados a partir da interpretação de múltiplas identidades e outras linguagens presentes na bagagem da artista.

Sília Moan da Silva nasceu em Escada, Pernambuco. Formada em Design Gráfico pelo Istituto Europeo di Design – IED, ela tem como linha de atuação a comunicação visual como ferramenta de fortalecimento das comunidades tradicionais brasileiras, principalmente a partir das artes gráficas e audiovisuais.

Avulsas Inoportunas

Avulsas são as 14 páginas de 152 cm de altura por 92 cm de largura, soltas, repletas de desenhos ao acaso, ou calculados, formados a partir de manchas cinza, azuis, disformes e entrepostas por linhas e desenhos executados na cor preta. Em cada pintura, uma cor quente demarca o espaço retangular que recebe as palavras “Inoportunas” - que, escritas ao inverso, requerem o uso de espelho para serem lidas sem dificuldades.

Essa experiência pictórico-contemporânea, baseada em instintos e sentimentos, é assinada por Ropre, nome artístico da mineira Alessandra Cunha, de Uberlândia. Formada em Artes Plásticas pela UFU, ela produz e pesquisa temas relacionados a artes urbanas e, em especial, sticker art e pôsteres. Ela já participou de mais de 120 exposições no Brasil e no exterior e recebeu cinco prêmios por pinturas em salões de arte contemporânea.

Esperança

Diversas pinturas em óleo sobre tela revelam a “Esperança” do artista plástico Frank Adrian Colin Hopkinson, atualmente detido na Penitenciária II do Distrito Federal. Nascido em 1958, na Guiana Inglesa, ele cursou o primário e o secundário no Canadá, onde também fez cursos de Artes Comerciais, Marcenaria, e os básicos de Elétrica e Eletrônica. Depois de vender muitos quadros para particulares em Toronto e Montreal, Hopkinson voltou para a Guiana Inglesa na década de 1980 para procurar o pai.

Foi nessa época também que entrou no Brasil por algumas vezes, como turista, até se cadastrar como estrangeiro residente no país, em 1989, na cidade de Boa Vista (RR). No ano seguinte veio para Brasília, onde deu aulas de inglês, participou de projetos sociais, trabalhou com sinalização e artes gráficas, restauração de obras de arte, montagem de presépios e a pintura. Seus quadros trazem personagens, temas do cotidiano e da natureza.

A inscrição de Frank Hopkinson no calendário de mostras do Memorial TJDFT foi realizada pelo Núcleo de Ensino da Penitenciária do Distrito Federal, como parte do programa de estímulo à ressocialização do preso.

Serviço

Memorial TJDFT - Espaço Desembargadora Lila Duarte foi inaugurado em 19 de abril de 2010, durante as comemorações do cinquentenário do Tribunal. O espaço abriga documentos, processos históricos, fotos e peças que remetem à trajetória do TJDFT desde a sua criação até os dias atuais.

O Memorial é vinculado à 1ª Vice-Presidência, coordenada pela desembargadora Carmelita Brasil, e abre seu espaço para visitas espontâneas e monitoradas. Para tanto, basta entrar em contato pelo e-mail memoria@tjdft.jus.br ou pelos telefones (61) 3103-5894/5893/5863.