CNJ capacita TJDFT para utilização do BNMP 2.0

por AB — publicado 2018-02-22T18:30:00-03:00

Na próxima semana (26 e 27/2), magistrados e servidores das varas criminais, de execuções penais, varas de família e varas cíveis do TJDFT participarão de ação educacional para utilização do sistema BNMP - Banco Nacional de Monitoramento de Prisões, versão 2.0. A ação será realizada por juízes assistentes do CNJ e decorre de orientação daquele Conselho para integração dos sistemas do TJDFT ao mencionado banco.

A ação abordará conteúdo referente às funcionalidades do BNMP 2.0, às exigências do CNJ para o cadastro e controle das prisões do Distrito
Federal e à manutenção da base de dados dos presos nos sistemas informatizados do TJDFT, e visa orientar o cadastramento de todas as pessoas privadas de liberdade, bem como os documentos correspondentes que ensejaram a prisão, e os mandados de prisão pendentes de cumprimento, no banco em questão.

O prazo estabelecido para a implantação do BNMP é de 60 dias, e após a alimentação do acervo, deve ser dada continuidade ao preenchimento de dados e geração de documentos, possibilitando a atualização constante do sistema.

 

O Sistema BNMP é desenvolvido/coordenado pelo CNJ e tem a finalidade de facilitar o conhecimento por qualquer pessoa e o cumprimento de diligências por parte das autoridades policiais, assim como auxiliar os juízes no exercício de sua jurisdição.