Comitiva do TJRN conhece projetos e ações de gestão documental do TJDFT

por SS — publicado 2018-11-28T17:40:00-03:00

Comitiva do TJRN conhece projetos e ações de Gestão Documental do TJDFTNestas terça e quarta-feiras, 27 e 28/11, o TJDFT recebeu a visita de juízes e servidores do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte – TJRN. A comitiva veio conhecer a condução da gestão documental, física e digital, além dos sistemas e avanços tecnológicos do Tribunal em relação ao Processo Judicial eletrônico - PJe. A equipe do TJRN foi composta pelo juiz Geraldo Antônio da Mota e pelos servidores Walteíze Gomes Barbosa (Secretária Judiciária), Gerânio Gomes da Silva (Secretário de Tecnologia da Informação e Comunicação), Francisco Ribeiro de Faria (Chefe de Gabinete), Paulo Magnus Pereira Porto (Chefe de Divisão do PJe) e Adriana Carla Silva de Oliveira, responsável pela implantação do projeto de gestão documental do TJRN.

No primeiro dia da visitação, o grupo foi recebido pelo juiz Joel Rodrigues Chaves Neto, diretor do Complexo de Armazenamento do TJDFT, no SAAN, onde conheceram o Arquivo Central e sua estrutura administrativa, bem como as etapas de organização e acesso ao acervo do Tribunal como: pedidos de desarquivamento, acesso a processos, classificação, arranjo, cadastramento de metadados em sistema informatizado, avaliação documental e preparação para a eliminação de documentos. O magistrado explicou que “a reestruturação das unidades de gestão documental trouxe enormes benefícios para o TJDFT, porquanto, ao mesmo tempo em que gerou economia de gastos correntes, da ordem de mais de R$ 1 milhão por mês, também permitiu uma melhora significativa na gestão de espaços nas varas e no Complexo de Armazenamento”.

Coordenadoria de Digitalização e Serviços Gráficos – CODIGEm seguida, os colegas do TJRN visitaram a Coordenadoria de Digitalização e Serviços Gráficos – CODIG, no Guará II, responsável pelos procedimentos de digitalização de processos judiciais findos e em tramitação. No local, os servidores do TJDFT mostraram que a solução para os processos e documentos em meio analógico ou digital, considerados findos, não é a construção de novos espaços para armazenamento ou aquisição de storage. “A nossa experiência demonstra que somente a gestão documental é capaz de evitar a necessidade de constantes investimentos e cumprir as leis e normativos que regulamentam essa temática”, registrou o juiz Joel Rodrigues Neto.

No segundo dia de visitação, ocorreu uma série de reuniões com as equipes das áreas de tecnologia da informação, nas quais foram tratados assuntos como o Sistema de Gestão de Arquivos – SISARQ, suas especificidades e integração aos demais sistemas do Tribunal; a implantação e as adequações do PJe à realidade do TJDFT; a infraestrutura tecnológica necessária à implantação do Archivemática; e a troca de experiências em projetos de tecnologia, dentre os quais, a implantação de Repositório Arquivístico Digital Confiável para sistemas de negócios, nos termos da Resolução 43/2015, do Reunião com equipes das áreas de tecnologia da informaçãoConselho Nacional de Arquivos e da ISO 16.363:2012. Os visitantes conheceram, ainda, o acervo de fotos, processos, objetos históricos, mobiliário e obras de arte do Memorial TJDFT.

A visita foi encerrada no gabinete da 1ª Vice-Presidente do Tribunal, desembargadora Sandra De Santis, responsável por coordenar a política de gestão documental do TJDFT, dentre outras atribuições judiciais e administrativas. Na reunião, foi tratada a possibilidade de elaboração de termo de cooperação técnica entre os dois tribunais na área de tecnologia e gestão documental. O juiz Geraldo Antônio da Mota, do TJRN, agradeceu a receptividade e abertura do TJDFT nos dois dias de visitação, o que possibilitou ampla troca de conhecimentos. A desembargadora Sandra De Santis também agradeceu pela visita e ressaltou a honra de poder colaborar com um Tribunal tão tradicional como o TJRN.