Correio Braziliense publica artigo sobre carreira artística de magistrados do TJDFT

por ASP — publicado 2018-09-10T18:30:00-03:00

Artigo "A Voz da Justiça"Nesse domingo, 9/9, foi publicado, no caderno Revista do Correio, do jornal Correio Braziliense, o artigo “A voz da Justiça”, que traz o talento musical de duas personagens da magistratura local: a juíza e sambista Gláucia Foley, que está com apresentação marcada em Brasília para novembro, e o desembargador e compositor, já falecido, Milton Sebastião Barbosa, conhecido no mundo artístico com o codinome Cid Magalhães.

Com um texto requintado e profundo conhecimento musical, o artigo revela a trajetória artística dos dois magistrados do TJDFT.

Gláucia Foley é juíza titular do Juizado Especial Criminal de Taguatinga e coordenadora do Programa Justiça Comunitária. Ela irá se apresentar em novembro, no Clube do Choro, em Brasília. Graduada em Direito pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP) e mestre em Direito pela Universidade de Brasília (UnB), a juíza Gláucia Foley recebeu a Medalha Nacional de Acesso à Justiça do Ministério da Justiça, em 2014, e foi ganhadora do Prêmio Innovare para o Programa de Justiça Comunitária em 2005. É autora do livro "Justiça Comunitária, Justiça da Emancipação" e participou da obra coletiva "Feminismo, Pluralismo e Democracia", lançado em 9/8, com o artigo "Por uma justiça feminista".

O desembargador Milton Sebastião Barbosa, falecido em 1995, dá nome ao Fórum de Brasília. Diplomado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, em 1943, foi nomeado desembargador do TJDFT em 1967, pelo quinto constitucional, e eleito Presidente do Tribunal no biênio 1974-1976. Aposentou-se em 1977, tendo sido agraciado, in memoriam, com a Comenda da Ordem do Mérito Judiciário do Distrito Federal e dos Territórios, no grau de Grã-Cruz, pelo Conselho Tutelar da referida Ordem, no ano de 2002.

*O artigo “A voz da Justiça” está disponível na edição desse domingo, 9/9, no caderno Revista do Correio, do jornal Correio Braziliense.