Artigo de supervisor da VIJ/DF aborda dificuldade de adoção de crianças com problemas de saúde

por SECOM-VIJ-DF — publicado 2019-04-10T07:00:00-03:00

Servidor Walter GomesEm artigo, publicado na página do TJDFT, o psicólogo Walter Gomes de Sousa, supervisor da Seção de Colocação em Família Substituta da Vara da Infância e da Juventude do DF – SEFAM/VIJ-DF, chama a atenção para a dificuldade de adoção de crianças e adolescentes com problemas de saúde. Em seu artigo, Walter aponta para a realidade de que 26% de meninas e meninos aptos para adoção no Brasil têm algum problema de saúde. No DF, esse percentual chega a 20,85%. 

Em seu texto “Adoções necessárias e especiais”, o supervisor cita dois casos que ilustram essa realidade. O primeiro se trata de uma adolescente de 17 anos que está há 16 vinculada a uma instituição de acolhimento, sem que nenhuma família queira adotá-la. O outro exemplo é de criança de 2 anos e 3 meses que está há 1 ano e 5 meses, nas mesmas condições. 

Segundo o autor, uma das dificuldades é que o Poder Executivo local não tem instituições de acolhimento especializadas para dar conforto e abrigo para essas crianças com problemas de saúde que seja do próprio GDF. Toda a assistência tem sido dada por Instituições beneficentes, sem fins lucrativos, como é o caso da Casa do Carinho (Ceilândia), instituição Vila do Pequenino Jesus (Lago Sul) e AMPARE (Asa Norte). Mas esses recursos são escassos e é necessária a atenção de todos para essa situação que é crescente. 

O supervisor apresenta também o depoimento emocionante de um casal que adotou uma criança com restrições de saúde e como isso mudou a vida deles para melhor. Vale a pena ler o artigo e se atentar para essa realidade.

 

Foto: TJDFT