Juíza do TJDFT fala ao Correio Braziliense sobre violência de gênero

por RM — publicado 2019-08-06T10:55:00-03:00

Correio.pngA coordenadora do Núcleo Judiciário da Mulher do TJDFT, juíza Fabriziane Zapata, deu entrevista ao jornal Correio Braziliense sobre violência de gênero, cultura machista e agressões a meninas adolescentes. A matéria, disponibilizada no site do jornal da última segunda-feira, 5/8, tem como foco principal dados de violência contra mulher no Distrito Federal que mostram o número de vítimas abaixo de 18 anos de idade. A íntegra da reportagem você encontra aqui.

A juíza, que é titular do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do Riacho Fundo, afirmou na entrevista que a mentalidade machista se consolida muito cedo e é um dos fatores que explica a violência contra a mulher desde a primeira infância.

“A violência de gênero começa muito cedo. A formação de estereótipos de gênero se concretiza quando a criança tem 7 ou 8 anos e já expressa a ideia de que a menina vale menos, que é inferior por não ter as mesmas habilidades dos meninos. Os garotos, por sua vez, já começam a xingar os outros de mulherzinha, de afeminado, e tudo isso é naturalizado na sociedade. A gente só percebe quando começa a estudar sobre gênero”, esclarece a magistrada.

Além disso, a juíza falou sobre diferenças na educação de meninos e meninas que levam às desigualdades, e também do uso das redes sociais e aplicativos de mensagens para o aprofundamento dos estereótipos de gênero e da violência contra meninas adolescentes.