II Congresso Maria da Penha Vai à Escola recebe educadores e rede de proteção em oficinas e palestras

por CS — publicado 2019-08-20T16:33:00-03:00

_MG_0936 (2).jpgApós a abertura da XIV Semana Justiça pela Paz em Casa, nessa segunda-feira, 19/8, no Auditório do Corpo de Bombeiros Militar do DF, foi realizada a 2ª edição do Congresso Maria da Penha Vai à Escola, evento que reuniu servidores da Casa e professores especialistas na temática da violência contra a mulher, numa série de oficinas e exposições voltadas para educadores, gestores educacionais, professores e demais profissionais da Rede de Proteção à Mulher, que já atuam ou vão atuar como multiplicadores do projeto em suas áreas de trabalho.

A programação trouxe um painel de debate sobre O Papel da escola no atendimento e encaminhamento das situações de violência sexual, que teve a participação da professora doutora Sílvia Lordello, da Universidade de Brasília – UnB; de Úrsula Rodrigues Ducanges, doutora em Ciências da Saúde pela UnB e agente de polícia da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente – DPCA; e de Polyana Marra Soares, gestora do Posto de Depoimento Especial do TJDFT. 

Em sua exposição, a acadêmica destacou a importância de ações de prevenção desenvolvidas nas escolas, a exemplo das boas práticas apresentadas no Prêmio Maria da Penha vai à Escola. Além disso, ressaltou importantes aspectos para a compreensão do fenômeno da violência sexual, tais como, os mitos e verdades sobre o assunto, a necessidade de compreender a dinâmica própria da violência sexual, e ainda, questões contextuais e sinais da violência sexual contra crianças e adolescentes. “É muito importante que os profissionais da educação tenham conhecimento desse tema para que possam garantir a prevenção e o encaminhamento adequado em caso de suspeita de violência sexual”.

A professora Sheila Giardini Murta, do Departamento de Psicologia Clínica da UnB, ministrou a oficina Prevenção de relações afetivo-sexuais tóxicas, sobre como meninas e meninos adolescentes podem se cuidar e i_MG_0961.JPGdentificar sinais de quando uma relação amorosa começa a se tornar tóxica e abusiva.

As servidoras do Núcleo Judiciário da Mulher – NJM/TJDFT, Márcia Borba e Renata Bevilaqua, atuaram na oficina sobre prevenção à violência sexual. A servidora e pedagoga Myrian Sartori, por sua vez, falou sobre comunicação não violenta.

Na ocasião, as professoras Aldenora Macedo e Glacilene Caiana, da Subsecretaria de Educação Básica da Secretaria de Educação do Distrito Federal, apresentaram o Programa Mulheres Inspiradoras, desenvolvido em algumas escolas da rede pública de ensino de Brasília.

Semana Justiça pela Paz em Casa

As ações da Semana da Paz em Casa fazem parte do calendário nacional de combate à violência contra a mulher e têm a participação de todos os Tribunais de Justiça do país, na tentativa de esclarecer o público sobre a importância da pacificação social, começando pelo núcleo familiar.

Idealizada pela então Presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, em março de 2017, por meio da Portaria 15 do Conselho Nacional de Justiça – CNJ, a Semana Justiça pela Paz em Casa foi transformada oficialmente em Programa Nacional Justiça pela Paz em Casa. 

No âmbito do TJDFT, é realizada por meio do Núcleo Judiciário da Mulher – NJM, sob a coordenação da 2a. Vice-Presidência, com o objetivo de promover a conscientização contínua sobre o problema da violência de gênero, alcançando comunidade e instituições parceiras, bem como realizar esforço concentrado de audiências e sentenças nos 19 Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher espalhados pelo DF.

No TJDFT, a Semana Justiça pela Paz em Casa tem programação ampliada até o próximo dia 30/8, com uma série de atividades. Confira a programação completa aqui e participe!

Foto: Daniel Coelho Moutinho - NBastian/Divulgação TJDFT

Leia mais

TJDFT abre XIV Semana Justiça pela Paz em Casa no DF e premia escolas por boas práticas