Fórum do Guará completa 5 anos e inaugura Galeria de Diretores com homenagem a magistradas

por AB — publicado 2019-05-14T08:30:00-03:00

Fórum Guará

Fórum que leva nome de magistrada sempre foi dirigido por mulheres 

Como parte das comemorações pelos 5 anos de sua instalação (completados no último mês de fevereiro), o Fórum Desembargadora Maria Thereza de Andrade Braga Haynes, da Circunscrição Judiciária do Guará, irá inaugurar uma Galeria de Diretores do Fórum, com a aposição das fotos das juízas de Direito Oriana Piske de Azevedo, Zoni de Siqueira Ferreira e Maria Leonor Leiko Aguena. A cerimônia acontecerá no dia 24 de maio, às 16 horas, no hall de entrada do prédio. 

A escolha e designação dos juízes Diretores de Fóruns se dá conforme a Portaria GC 91/2016, e a Galeria de Diretores tem como objetivo deixar registrado na memória do Judiciário local mais um pedaço de sua história.

A primeira magistrada a ser homenageada, juíza Oriana Piske de Azevedo, foi designada Diretora do Fórum do Guará em 2014 e permaneceu no cargo até 2015. A segunda homenageada, Zoni de Siqueira Ferreira, dirigiu o Fórum entre 2015 e 2016, e a terceira juíza a ocupar o cargo - Maria Leonor Leiko Aguena, foi indicada em 2016 e permaneceu na direção do Fórum até 2018. A atual Diretora do Fórum do Guará é a juíza Delma Santos Ribeiro. 

O nome do Fórum é uma homenagem à primeira e única mulher a exercer o cargo de Presidente e Corregedora da Justiça do DF até os dias atuais. Antes da construção do Fórum, o Judiciário do Guará contava apenas com dois Juizados Especiais Cíveis e Criminais e funcionava em um galpão junto à área gráfica do TJDFT. Hoje, a Circunscrição é composta das seguintes unidades judiciais: Juizado Especial Criminal e de Violência Doméstica; Juizado Especial Cível; Vara Cível; Vara de Família e de Órfãos e Sucessões; Vara Criminal e do Tribunal do Júri e um CEJUSC – Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania.

A região administrativa do Guará foi construída em 1967 e teve seu Fórum inaugurado em 14 de fevereiro de 2014. Até então, suas demandas eram atendidas pelo Fórum de Brasília, dada a proximidade com a região. Hoje atende demandas judiciais do Guará I e II, beneficiando uma população de mais de 100 mil habitantes.