Acusada de atirar em policial militar é absolvida pelo júri popular

por ASP — publicado 2019-11-13T19:59:00-03:00

Mes nacional do juri2.jpegEm sessão de julgamento realizada no Tribunal do Júri de Taguatinga, no dia 11/11, Juliana Pereira do Nascimento foi absolvida da acusação de efetuar disparos de arma de fogo e golpes com objeto pérfuro-cortante contra um policial militar, no dia 20/6/2017, por volta de 23h, em frente ao SESC de Taguatinga Sul.

Em Plenário, o representante do Ministério Público concluiu por não sustentar a acusação para requerer a absolvição da ré. A defesa da acusada sustentou as teses de negativa de autoria e, em outro plano, absolvição por legítima defesa, desistência voluntária e arrependimento eficaz.

O Conselho de Sentença, em resposta aos quesitos formulados, por maioria de votos, reconheceu a materialidade, a autoria, admitiu a figura da tentativa e absolveu a ré.

Assim, em conformidade com a decisão soberana dos jurados, o juiz presidente da sessão absolveu a ré Juliana das imputações que lhe pesavam nos autos.

Esse é mais um dos processos contemplados com prioridade no Mês Nacional do Júri, pois envolve crime praticado contra policial.

Durante esta edição de 2019 do Mês Nacional do Júri, que acontece durante todo o mês de novembro, os tribunais de Justiça das 27 unidades da Federação dão prioridade à análise de processos com réus presos e aos que tiveram recebimento da denúncia até 31/12/2015, além dos processos que se referem a crimes de feminicídio; relativos a homicídios de crianças e adolescentes; relativos a homicídios praticados por policiais, ou que tenham policiais como vítima, em serviço ou não; e processos referentes a homicídios oriundos de confrontos dentro/arredores de bares e/ou casas noturnas.

De 4 a 29 de novembro, as circunscrições do DF que participam da iniciativa esperam dar à sociedade e aos familiares das vítimas de homicídio, tentado ou consumado, um maior número de respostas aos crimes dolosos contra a vida.

No DF, a iniciativa é coordenada pelo juiz João Marcos Guimarães Silva, titular do Tribunal do Júri de Taguatinga e gestor das Metas da Enasp no TJDFT.