Central do Idoso lança 4ª edição do Mapa da Violência contra a Pessoa Idosa do DF

por SB — publicado 2019-10-02T15:06:00-03:00

IMAGEM-MATERIA-Mapa_Violencia_Pesssoa_Idosa_DF.jpgA Central Judicial do Idoso – CJI lança, nesta sexta-feira, 4/10, a 4ª edição do Mapa da Violência contra a Pessoa Idosa do Distrito Federal. O lançamento será realizado no Auditório Sepúlveda Pertence, localizado no térreo do Bloco A do Fórum de Brasília, durante evento aberto ao público que contará também com a palestra Envelhecer num Contexto de Desproteção, proferida pelo assistente social e especialista em gerontologia Vicente Faleiros. Os interessados em participar podem fazer sua inscrição no local às 13h30.

O evento terá início às 14h com a composição da mesa de abertura seguida da palestra do professor Faleiros e, às 15h, será apresentado o Mapa ao público presente. Após a apresentação, os coordenadores da Central e o palestrante responderão perguntas dos participantes e atenderão a imprensa.

A 4ª edição do Mapa da Violência contra a Pessoa Idosa do Distrito Federal foi realizada com base na análise e na compilação dos dados entre os anos de 2008 a 2018 e informações provenientes de diferentes fontes sobre o tema, em especial do Disque Direitos Humanos – Disque 100, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos do Governo Federal; do Núcleo de Estudos e Programas na Atenção e Vigilância em Violência (Nepav) da Secretaria de Saúde do Distrito Federal e da própria Central Judicial do Idoso. Também foram utilizadas, como subsídios, informações oriundas da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual, ou contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência (Decrin), da Polícia Civil do Distrito Federal e os casos de idosos que foram acompanhados pelo Programa de Prevenção Orientado à Violência Doméstica e Familiar (Provid), da Polícia Militar do Distrito Federal nos anos de 2017 e 2018.

O Mapa mostra que a idade das vítimas se concentra na faixa de 60 a 69 anos (35,07%) e os casos relativos a mulheres representam 62,21% das ocorrências registradas. O maior número de denúncias concentrou-se em Ceilândia com 16,69%, onde também está a maior população idosa. A violência psicológica é a prevalente (30,84%) e os principais agressores são os filhos, com 57,49% dos casos.

Central Judicial do Idoso

A Central Judicial do Idoso é um projeto pioneiro do TJDFT, do Ministério Público do DF e da Defensoria Pública. É um serviço interdisciplinar destinado a atender pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, do Distrito Federal, que tenham seus direitos ameaçados ou violados e que necessitem de orientação e atendimento na esfera da Justiça. Entre seus principais objetivos estão o de garantir a efetiva aplicação do Estatuto do Idoso, prover a comunidade do DF de informações, promover a articulação com instituições para atendimento das demandas existentes e assessorar autoridades competentes. Os coordenadores da Central são as juízas Monize Marques e Christiane Campos, a promotora Maércia Mello e o defensor público Alberto Amorim.

Para conhecer outras edições do Mapa, clique aqui. Para saber mais sobre a Central Judicial do Idoso clique aqui.

Entrevista

Confira no site do TJDFT entrevista com a juíza Monize da Silva Freitas Marques, responsável pelo Centro Judiciário de Soluções de Conflitos e Cidadania de Taguatinga e uma das Coordenadoras da Central Judicial do Idoso, alusiva ao Dia Internacional do Idoso, celebrado nesta semana (em 1º/10), e a Lei brasileira 10.741/2003, conhecida como Estatuto do Idoso, que completa 16 anos também neste mês de outubro.

Na entrevista, a magistrada fala sobre o envelhecimento no Brasil, os avanços da nossa legislação, os benefícios a que os idosos fazem jus e questões culturais sobre "ser idoso" no nosso país.