Juiz do TJDFT participa de palestra sobre violência doméstica para servidores do TSE

por CS — publicado 2021-06-22T16:01:00-03:00

WhatsApp Image 2021-06-22 at 14.13.06.jpegO Juiz do TJDFT Ben-Hur Viza, titular do Juizado de Violência Doméstica e Familiar do Núcleo Bandeirante, participou, na última quarta-feira, 16/6, da palestra Violência Doméstica: um problema nosso, promovida pela Secretaria de Gestão de Pessoas e pela Comissão TSE Mulheres do Tribunal Superior Eleitoral – TSE.

O evento discutiu temas como assédio, feminicídio, os parâmetros da Lei Maria da Penha e machismo. O magistrado ressaltou as diferentes formas de violência pelas quais a mulher pode ser submetida no ambiente doméstico ou familiar. De acordo com a legislação, qualquer tipo de abuso, sela ele físico, psicológico, sexual, moral ou patrimonial é considerado violência. “Em termos práticos, tudo o que faz a mulher se sentir inferiorizada e insegura é uma forma de violência”, afirmou o juiz.

Ben-Hur Viza considera importante esse destaque, uma vez que as vítimas não costumam saber o que é e quais são os tipos de violência doméstica, em muitos casos restringidos à agressão física. De acordo com o magistrado, nem sempre o agressor deixa um dano físico, na maioria das vezes, o dano é um sofrimento, é uma ferida emocional.

Idealizador do programa Maria da Penha Vai à Escola, criado durante o período em que atuou como coordenador do Núcleo Judiciário da Mulher do TJDFT, o juiz defende que a educação e a conscientização das crianças e jovens sobre questões de gênero, ainda na fase estudantil, são o caminho para a diminuição dos casos de violência contra a mulher.  “O machismo e a masculinidade tóxica são prejudiciais para ambos os sexos. É preciso levar às escolas a Lei Maria da Penha e gerar uma consciência de respeito, equilíbrio e tratamento não-violento”, disse.

O encontro foi mediado pela servidora Eugênia Lacerda, da Comissão TSE Mulheres.