Juíza do TJDFT fala sobre assédio sexual em artigo

por ACS — publicado 2021-06-16T13:59:18-03:00

Captura de Tela 2021-06-16 às 13.55.09.jpgA revista eletrônica Fonte Segura, produzida pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, publicou nesta quarta-feira, 16/6, artigo de autoria da Juíza de Direito do TJDFT Rejane Jungbluth Suxberger, titular do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de São Sebastião, intitulado “O invisível assédio sexual nosso de todos os dias”. 

No texto, a magistrada fala sobre a “dominação masculina”,
 espécie de “violência oculta, que é operada por meio da linguagem, do comportamento e da representação”, com base em dados apresentados pela pesquisa “Visível e Invisível: a Vitimização de Mulheres no Brasil” realizada pelo Datafolha a pedido do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Para a autora, é pela “dominação masculina” que “se naturalizam as relações de dominação e as diferenças socialmente estabelecidas entre os sexos”, favorecendo a prática do assédio sexual.

O assédio sexual nem sempre tem como fim a posse sexual, mas a mera afirmação de dominação. É utilizado como instrumento para o qual o homem prova aos seus pares, que ele é mais viril do que os demais e que ele está numa posição dominante, o que lhes permite realizar essas ações publicamente e com impunidade”, afirma a magistrada. 

A juíza fala ainda sobre a tarefa do feminismo em “descobrir e desarticular as diversas formas de manutenção da violência contra as mulheres”, para o fim da cultura do machismo e na busca por uma sociedade igualitária.

Rejane Suxberger é juíza de violência doméstica de São Sebastião/DF. Mestre em Direito pelo UniCeub. Máster em gênero e igualdade pela Universidade Pablo de Olavide - Sevilha/Espanha e Doutoranda em Ciências Sociais na linha de gênero e igualdade pela Universidade Pablo de Olavide.

O artigo “O invisível assédio sexual nosso de todos os dias” está disponível na página da Revista Fonte Segura ou acesse o espaço “Artigos”, do site do TJDFT, local onde são divulgados periodicamente assuntos importantes para a Justiça local por meio de porta-vozes da Casa e pessoas relevantes do meio jurídico.