Aurora realiza oficina para implementação da Política de Atenção a Pessoas em Situação de Rua

por ACS — publicado 2021-11-12T16:24:00-03:00

MicrosoftTeams-image (8).pngNesta quarta-feira, 10/11, o Laboratório Aurora do TJDFT recebeu, em sua sede, especialistas de diversos estados brasileiros para participar da última etapa das oficinas de design sprint voltadas à implementação da Política Nacional de Atenção a Pessoas em Situação de Rua e suas interseccionalidades no âmbito do Poder Judiciário. A Juíza Luciana Yuki Fugishita Sorrentino, Coordenadora do Centro de Inteligência do TJDFT, integrou os trabalhos como representante do TJDFT.  

As oficinas realizadas são fruto da parceria de diversos Laboratórios de Inovação, como o LIODS/CNJ, iJuspLab, LIODS/TRE Paraná, LINC JF/PR e Ateliê de Inovação do TJPR. As ações foram iniciadas de forma online, em 03/11, e adotado o modo presencial nos dias 09 e 10/11. A metodologia utilizada nos encontros buscou desenvolver trilhas para que órgãos da Justiça e parceiros públicos implementem a Resolução 425/2021 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Assim, as soluções foram criadas de forma ágil e colaborativa, a partir do mapeamento das necessidades do usuário, esboço de ideias, construção de protótipos e, finalmente, testes com o público-alvo.

MicrosoftTeams-image (6).pngA fase de testes dos protótipos criados foi realizada no TJDFT, o que exigiu trabalho conjunto de diversas unidades do Tribunal, como a Secretaria-Geral - SEG, Secretaria de Administração Predial - SEAP, Secretaria de Tecnologia da Informação - SETI, Secretaria da Escola de Formação Judiciária - SEEF, Assessoria do Cerimonial da Presidência - ACP e outras. A estrutura montada permitiu a execução das dinâmicas do design sprint, inclusive a realização de entrevistas com o público-alvo do projeto, tanto por videoconferência como de forma presencial.

O resultado dos cinco dias de intensas oficinas pode ser conferido no Webinário Política Nacional Judicial de Atenção a Pessoas em Situação de Rua e suas interseccionalidades disponível no canal oficial do Conselho Nacional de Justiça – CNJ no Youtube.

Fotos: divulgação Aurora/TJDFT