Acusado de feminicídio por estrangulamento é condenado a 20 anos de prisão

por ASP — publicado 2022-05-06T16:37:00-03:00

Nessa quinta-feira, 5/5, o Tribunal do Júri de Taguatinga condenou Wagner Andrade dos Reis a 20 anos e quatro meses de prisão, por estrangular até a morte sua ex-companheira Rosilene Martins Nicolau e, ainda, subtrair para si o aparelho celular da vítima. O crime foi praticado na residência da ofendida, em Taguatinga/DF, entre os dias 28 e 29 de junho de 2020. 

Para o Ministério Público, o delito foi praticado por motivo torpe, devido ao sentimento de posse do réu em relação à vítima, exercido com emprego de asfixia violenta e cometido contra mulher por razões do sexo feminino, uma vez que o acusado e a vítima eram namorados e moravam juntos. Os jurados, em votação secreta, acolheram a denúncia do Ministério Público em sua totalidade e ainda admitiram a causa de aumento de pena pelo crime de furto ocorrido durante o repouso noturno.

Assim, de acordo com a decisão soberana do júri popular, o juiz presidente do julgamento condenou o réu pela prática de homicídio triplamente qualificado pelo motivo torpe, asfixia e feminicídio e, também, por furto. O juiz afirmou que a conduta do réu, que tinha plena consciência da ilegalidade, foi extremamente censurável, revelando imenso desvalor pela vida humana, e determinou o  regime inicialmente fechado para o cumprimento da pena privativa de liberdade aplicada.

O réu respondeu ao processo preso e não poderá recorrer  em liberdade.

Acesse o PJe1 e confira o processo: 0713817-05.2020.8.07.0007